Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.663,21
    +922,09 (+1,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Vanderlei Luxemburgo e Pássaro admitem má atuação do Vasco, mas criticam critérios da arbitragem

Felippe Rocha
·1 minuto de leitura


A derrota foi pesada. O 4 a 1 para o Red Bull Bragantino, na noite desta quarta-feira, evidencia que houve problemas no Vasco que jogou em Bragança Paulista. Mas tanto o técnico cruz-maltino, Vanderlei Luxemburgo, quando o diretor executivo de futebol, Alexandre Pássaro, entendem que os critérios da arbitragem comandada por Leandro Vuaden deixaram a desejar.

- Acho que foi elástico demais. Quando estávamos em cima do Red Bull, ele não deu a falta no Andrey. Foi elástico demais. No primeiro tempo não fomos bem. Mas estávamos pressionando no segundo tempo. Poderia ter feito a diferença (o lance em Andrey). O critério que ele usou foi diferente. Mas não tenho que reclamar (pela derrota) porque o Bragantino fez um grande jogo - analisou o treinador do Vasco, citando um lance de falta em Carlinhos como exemplo.

O lance em questão foi o que resultou no terceiro gol do Red Bull Bragantino. A partida estava 2 a 1, com o time visitante pressionando. Na saída de jogo, perto da entrada da área, uma dividida resultou na perda da posse de bola por parte de Andrey. Alexandre Pássaro criticou o fato de o lance não ter sido nem indicado à revisão pelo árbitro de vídeo Daniel Bins.

- Não estamos justificando performance, resultado, posição na tabela. Mas que a arbitragem tenha o mesmo nível que nos é exigido. E ele (Vuaden) nem foi ver o VAR. Ninguém está dizendo que viraríamos o jogo, mas o jogo, hoje, foi decidido assim - entende o dirigente.

O Vasco volta a campo neste sábado. O duelo é com o Atlético-MG, no estádio de São Januário.