Mercado fechará em 3 h 47 min
  • BOVESPA

    125.518,80
    +906,77 (+0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.164,66
    +254,13 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,10
    +0,45 (+0,63%)
     
  • OURO

    1.799,50
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    39.757,91
    +1.655,82 (+4,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    933,78
    +3,85 (+0,41%)
     
  • S&P500

    4.405,47
    +4,01 (+0,09%)
     
  • DOW JONES

    35.002,79
    -55,73 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.006,25
    +58,50 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0892
    -0,0192 (-0,31%)
     

Valorização recente do dólar ante real é "desvio temporário", diz estrategista do BNP Paribas

·2 minuto de leitura
Valorização recente do dólar ante real é "desvio temporário", diz estrategista do BNP Paribas

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - A alta recente do dólar ante mínimas em um ano abaixo de 5 reais atingidas no mês passado é apenas um "desvio temporário" e não compromete uma tendência mais ampla de desvalorização, disse à Reuters o estrategista de juros e moedas para a América Latina do BNP Paribas André Digiacomo.

Em 24 de junho deste ano, a moeda norte-americana fechou o pregão cotada a 4,9062 reais, seu menor patamar em pouco mais de um ano. No entanto, o dólar não encerra uma sessão abaixo da marca psicológica de 5 reais desde o dia 29 do mês passado, e terminou a última semana acima dos 5,25 reais, alta de mais de 7% em relação à minima do dia 24.

"Voltamos a ver números consistentemente mais altos do dólar nas últimas semanas em meio a medidas de inflação cada vez mais elevadas nos Estados Unidos e a problemas idiossincráticos no Brasil, com momentos de turbulência política", explicou Digiacomo. "Isso afastou o investidor estrangeiro e gerou muita volatilidade para nossa moeda."

Ainda assim, disse ele, esse não é, necessariamente, o início de uma tendência persistente de alta. "Acreditamos que esse foi só um desvio temporário, com mais volatilidade e distúrbios políticos, e agora estamos voltando ao caminho natural das coisas, que é a gente ver um real mais forte", afirmou.

Segundo Digiacomo, o aumento da taxa Selic pelo Banco Central tem ajudado muito o desempenho do real, levando os juros para níveis em que a moeda brasileira fica mais competitiva em termos de carrego.

Custos mais altos dos empréstimos no Brasil tornam o real mais atrativo para estratégias de "carry trade", que consistem na tomada de empréstimos em moeda de país de juro baixo e compra de contratos futuros de uma divisa de juro maior, como a divisa brasileira. O investidor, assim, ganha com a diferença de taxas.

Embora as eleições presidenciais de 2022 devam trazer um "cenário mais desafiador para o real", elas não devem afetar a tendência de prazo mais longo de fortalecimento da moeda doméstica, afirmou Digiacomo.

O BNP Paribas projeta que o dólar encerrará o ano de 2021 em 4,75 reais.

Nesta quarta-feira, o dólar era negociado em torno dos 5,08 reais na venda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos