Mercado abrirá em 4 h 7 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,33
    +1,04 (+1,48%)
     
  • OURO

    1.762,10
    -1,70 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    43.404,38
    -1.662,04 (-3,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.089,29
    -45,10 (-3,98%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.974,67
    +70,76 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.157,00
    +147,50 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2897
    +0,0450 (+0,72%)
     

Valor pago pelo Bolsa Família pode dobrar, diz Bolsonaro

·3 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 19.03.2020 - Still do cartão Bolsa Família. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 19.03.2020 - Still do cartão Bolsa Família. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (3) que o governo pode sugerir até dobrar o valor médio pago a beneficiários do Bolsa Família.

"No momento, vivemos ainda auxilio emergencial mais baixo, mas estamos aqui ultimando esforços e estudos no sentido de dar aumento de, no minimo, 50% para o bolsa família, podendo chegar até 100% em média", afirmou o presidente em entrevista à TV Asa Branca, de Pernambuco.

Hoje o valor médio distribuído a 14 milhões de beneficiários é R$ 192. O presidente não citou a qual cifra pretende chegar.

A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, tem feito estudos para elevar a R$ 300 o pagamento. Há intenção do Planalto de chegar a R$ 400 distribuídos, em média, para cada beneficiário.

O governo apresentou na segunda-feira (2) a líderes do Congresso uma proposta que dribla a regra do teto de gastos em 2022. A ideia é adiar o pagamento de dívidas reconhecidas pela Justiça --chamadas de precatórios-- e usar os recursos para elevar o valor do Bolsa Família.

O pacote de medidas busca, desde já, melhorar a popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na campanha presidencial do próximo ano. Ele está atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em pesquisas eleitorais.

A proposta também cria um fundo com ativos de estatais e imóveis da União. A ideia da equipe econômica é inserir recursos oriundos de dividendos e venda de ações para expandir a área social e fazer outros gastos.

Guedes disse no último dia 30 que o Orçamento de 2022 terá de R$ 25 bilhões a R$ 30 bilhões livres para permitir o pagamento médio de até R$ 300 ao Bolsa Família.

Apesar de ainda esperarem os detalhes do texto, economistas criticam a ideia de negociar precatórios. Lembram que adiar desse maneira o pagamento de dívidas é considerado calote e até pedalada.

A proposta adia o pagamento de quase metade de dívidas reconhecidas pela Justiça, que teriam de ser cumpridas em 2022. Atualmente, a demanda projetada para o ano que vem é de R$ 89,1 bilhões --um crescimento de 60% em relação ao projetado para 2021.

A ideia do governo é utilizar uma PEC (proposta de emenda à Constituição) com um aval para que o pagamento dos precatórios possa ser parcelado em até dez anos, o que geraria uma folga no espaço orçamentário de 2022 para outras ações.

De acordo com integrantes do governo, a PEC vai servir para que o espaço do teto de gastos não seja inteiramente consumido pelo crescimento dos precatórios. Um instrumento à parte, uma MP (medida provisória), vai definir o formato do novo Bolsa Família.

Com isso daí a gente prepara o Brasil para voltar a normalidade", disse Bolsonaro à TV Asa Branca sobre a proposta de aumento no Bolsa Família.

O presidente afirmou afirmou que o governo deve recomendar "daqui a poucas semanas" afrouxamento de restrições contra a Covid, sem entrar em detalhes. Ele disse que a decisão final será de prefeitos e governadores.

Bolsonaro já pediu estudo à Saúde para avaliar derrubar a obrigação de uso de máscara, medida tida como precipitada por especialistas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos