Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.230,04
    +211,75 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Valor de mercado da Xiaomi alcança meta de IPO de 2018

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O fundador da Xiaomi, Lei Jun, pode finalmente se alegrar: o valor de mercado da fabricante chinesa de smartphones ultrapassou a marca de US$ 100 bilhões, um número do qual a empresa ficou muito longe quando abriu capital há dois anos.

Os papéis da empresa chegaram a subir 9,1% na quarta-feira, para um novo recorde em Hong Kong. Agora é a 13ª ação no índice Hang Seng com capitalização de mercado acima de US$ 100 bilhões. A ação fechou a sessão com alta de 7,6% e valor de mercado de 802 bilhões de dólares de Hong Kong (US$ 103 bilhões).

A Xiaomi, que gera a maior parte da receita com a divisão smartphones, tinha como meta valuation de US$ 100 bilhões em sua oferta pública inicial, disseram pessoas com conhecimento do plano em maio de 2018. Mas o valor da Xiaomi era equivalente a apenas metade daquele nível no dia da estreia na bolsa, e as ações foram negociadas abaixo do preço da oferta de 17 dólares de Hong Kong durante a maior parte dos primeiros dois anos como empresa de capital aberto.

A ação teve uma mudança de sorte em agosto, depois do anúncio que a Xiaomi seria incluída no índice Hang Seng. O preço da ação mais do que dobrou desde então. As fortes vendas durante o festival de compras “Double 12” da China ajudaram a impulsionar a ação neste mês, e uma proposta para aumentar a ponderação de empresas como a Xiaomi no índice Hang Seng de 5% para 8% pode ampliar os ganhos.

Em novembro, a Xiaomi divulgou o crescimento de vendas trimestral mais rápido em dois anos, enquanto os lucros superaram as estimativas de analistas. A Xiaomi continua sendo uma das poucas grandes empresas de tecnologia chinesas a se beneficiar de forte expansão no exterior, ao mesmo tempo em que é favorecida pela adoção da tecnologia 5G pela China e ganha participação no mercado doméstico da concorrente Huawei Technologies.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.