Vale vende parte de ouro extraído como subproduto em minas do Brasil e Canadá

Rio de Janeiro, 6 fev (EFE).- A mineira Vale anunciou nesta quarta-feira um acordo com a canadense "Silver Wheaton" para vender, por US$ 1,9 bilhão, parte do ouro atualmente extraído como subproduto na mina de cobre de Salobo (Brasil) e nas minas de níquel de sua subsidiária Sudbury (Canadá).

O negócio tem por objetivo elevar a renda imediata da Vale e alcançar os recursos necessários para seus projetos prioritários, especialmente as minas de ferro, mineral do qual é a maior produtora e exportadora mundial.

A Vale, segundo um comunicado enviado a seus acionistas, se comprometeu a entregar para a "Silver Wheaton" 25% do ouro extraído junto ao cobre em Salobo durante toda a vida útil da mina localizada no estado do Pará.

A companhia brasileira também se comprometeu a entregar à mineira canadense 70% do ouro extraído como subproduto de níquel durante os próximos 20 anos nas minas de Coleman, Copper Cliff, Creighton, Garson, Stobie, Totten e Victor, todas exploradas pela Sudbury no Canadá.

Além dos US$ 1,9 bilhão iniciais estipulados pelos direitos sobre essa produção de ouro, a Vale receberá um mínimo de US$ 400, ou o preço de mercado, por cada onça do metal que entregue à "Silver Wheaton".

O acordo evita que a maior empresa do Brasil registre perdas pela não-produção de ouro, caso tenha que paralisar suas atividades por problemas climáticos ou técnicos.

A empresa também não terá custos adicionais pela produção de ouro devido ao fato de que o acordo apenas prevê o pagamento pelo metal que já é extraído como subproduto.

A Vale espera contar com uma capacidade para produzir até 200 mil toneladas anuais de cobre em Salobo, após um investimento de US$ 4,2 bilhões na mina. EFE

Carregando...