Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.850,14
    +1.297,70 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.554,88
    -114,37 (-0,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,63
    +0,60 (+1,50%)
     
  • OURO

    1.906,70
    -22,80 (-1,18%)
     
  • BTC-USD

    13.046,97
    +1.989,96 (+18,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,30
    +7,20 (+2,81%)
     
  • S&P500

    3.451,24
    +15,68 (+0,46%)
     
  • DOW JONES

    28.356,53
    +145,71 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.785,65
    +9,15 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -92,73 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    11.654,75
    -36,50 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6161
    -0,0339 (-0,51%)
     

Vale vai se unir à empresa chinesa para expandir e operar porto na China

Allan Ravagnani
·3 minutos de leitura

Contribuição de capital da Vale para o Projeto West III no Porto de Shulanghu pode variar entre US$ 109 milhões e US$ 156 milhões Leo Pinheiro/Valor A Vale informou que seu conselho de administração aprovou a criação de uma joint venture entre a subsidiária Vale International e a Ningbo Zhoushan Port, para a construção e operação do Projeto West III no Porto de Shulanghu, na cidade de Zhoushan, província de Zhejiang, na China. A Vale vai ser dona de 50% da joint venture e ambas as partes pretendem obter empréstimos de terceiros de até 65%, mas não menos que 50% do investimento total. Com essas premissas, a contribuição de capital da Vale para o projeto pode variar entre US$ 109 milhões e US$ 156 milhões, aproximadamente. A construção do projeto, que deve durar até três anos, terá início após ambas as partes obterem as aprovações antitruste e outras aprovações regulatórias na China. A Ningbo Zhoushan Port é uma subsidiária do Zhejiang Provincial Seaport Investment & Operation Group. É também a operadora dos terminais públicos do Porto de Ningbo Zhoushan, que ocupou o primeiro lugar por 11 anos consecutivos em termos de movimentação total de carga no mundo. O Projeto West III consiste na expansão das instalações do Porto de Shulanghu, desenvolvendo um pátio de estocagem e berços de carregamento com capacidade adicional de 20 milhões de toneladas por ano (Mtpa). Segundo a mineradora, ao participar do projeto, a Vale garantirá uma capacidade portuária total de 40 Mtpa em Shulanghu, o que ajudará a companhia a otimizar custos em sua cadeia de valor. O projeto tem investimentos com valor plurianual total de aproximadamente US$ 624 milhões, e inclui a aquisição de direitos de propriedade e o desenvolvimento da capacidade portuária de 20 Mtpa, incluindo a construção de um novo pátio de estocagem e dois berços de carregamento, sujeitos a aprovações regulatórias. “O projeto garantirá capacidade portuária estratégica para a Vale na China, uma vez que o porto de Shulanghu permite a atracação de navios Valemaxes e a otimização dos custos de transporte e distribuição da Vale”, diz o comunicado da empresa. Segundo a Vale, em 2015, mineradora brasileira lançou o Brazilian Blend Fines (BRBF), produto resultante da mistura de finos de minério de ferro de Carajás, no Sistema Norte, com finos de minério de ferro dos Sistemas Sul e Sudeste, que se complementam em termos de características físicas, químicas e metalúrgicas. “O BRBF é produzido no Terminal Marítimo de Teluk Rubiah na Malásia e em dezessete portos na China, incluindo o Porto de Shulanghu. Esse processo reduz o tempo necessário para atendimento dos mercados asiáticos e aumenta nossa capilaridade de distribuição ao permitir o uso de embarcações menores. A estratégia de blendagem também permite planos de mineração mais eficientes e aumenta o uso de métodos de processamento a seco, que por sua vez reduzem investimentos, estendem a vida útil de nossas minas e reduzem o uso de água em nossas operações: uma flexibilidade fundamental para lidar com os desafios de curto prazo”, completa .