Mercado abrirá em 6 h 23 min

Vale reduz estimativa de produção e traz alívio ao mercado

Sabrina Valle

(Bloomberg) -- A Vale cortou o guidance de produção de minério de ferro no primeiro trimestre, o que traz certo alívio ao mercado global atingido pela preocupação crescente de que a propagação do coronavírus reduzirá a demanda pelo ingrediente usado na fabricação de aço.

A produção deve totalizar de 63 milhões a 68 milhões de toneladas no primeiro trimestre, informou a Vale em comunicado ao mercado. A estimativa anterior da mineradora era de produção e vendas entre 68 milhões e 73 milhões de toneladas no primeiro trimestre. Para o ano, a produção de minério de ferro foi mantida entre 340 milhões e 355 milhões de toneladas.

A maior mineradora de ferro do mundo ainda se recupera de um ano difícil, quando o rompimento de uma barragem em Brumadinho, em janeiro de 2019, obrigou a empresa a suspender operações equivalentes a 25% da produção prevista. Depois de passar a maior parte do ano focada em retomar as operações, o coronavírus mudou as perspectivas para mineradoras no mundo todo. A Vale agora sinaliza que pode limitar a oferta, aproveitando a menor demanda para reabastecer os estoques que se esgotaram no ano passado para cumprir os contratos.

“A Vale reforça sua estratégia de margem sobre volume, priorizando produtos blendados em seu portfólio”, disse a empresa, acrescentando que as estimativas de produção não incluem os efeitos do surto de coronavírus. Com a reposição dos estoques, isso pode “implicar vendas menores em comparação aos volumes de produção”.

Os contratos futuros de minério de ferro e aço deram um salto na terça-feira depois que uma reportagem indicou que o governo chinês planeja oferecer mais apoio financeiro para combater o impacto econômico do coronavírus. A associação que representa a maior região produtora de aço da China já havia sinalizado o risco crescente de cortes de produção nas usinas, pois o surto levou o governo a impor bloqueios em estradas e a paralisar fábricas. Os preços do minério de ferro acumulam queda de 13% este ano e fecharam em US$ 79,81 a tonelada na segunda-feira.

Mercado ‘nebuloso’

“O mercado ainda está um pouco nebuloso - as questões são quando e com que intensidade a China retomará as atividades e aumentará a demanda”, disse Gustavo Lima, analista da Navi Capital Investment. “A oferta mais restrita tem elevado os preços do minério de ferro, enquanto a menor demanda da China puxa para baixo. O mercado está tentando equilibrar essa equação.”

No ano passado, a produção de minério de minério de ferro da Vale totalizou 302 milhões de toneladas, menos do que a média de 311 milhões de toneladas, segundo projeções compiladas pela Bloomberg. A produção caiu 22% em relação a 2018, enquanto o volume de pelotas produzido registrou queda de 24%, para 41,8 milhões de toneladas, segundo outro comunicado ao mercado enviado na terça-feira. A menor produção anual foi resultado, principalmente, do rompimento da barragem em Brumadinho e interrupções das operações da empresa em Vargem Grande, Fábrica, Brucutu, Timbopeba e Alegria. Enquanto isso, o volume de chuvas acima do normal em Minas Gerais já reduziu a produção no trimestre atual em 1 milhão de toneladas.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórter da matéria original: Sabrina Valle em Rio De Janeiro, svalle@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Luzi-Ann Javier, ljavier@bloomberg.net, ;Simon Casey, scasey4@bloomberg.net, Jessica Brice

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.