Mercado fechará em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    113.303,39
    +1.030,38 (+0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.622,01
    +100,58 (+0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,76
    +0,86 (+1,10%)
     
  • OURO

    1.943,60
    +4,40 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    23.134,89
    -52,12 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,99
    +6,20 (+1,20%)
     
  • S&P500

    4.041,59
    +23,82 (+0,59%)
     
  • DOW JONES

    33.799,02
    +81,93 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.771,95
    -12,92 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.083,50
    +115,50 (+0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5346
    -0,0124 (-0,22%)
     

Vale a pena comprar um iPhone 11 usado?

O mercado de celulares da Apple é bem movimentado e os iPhone geralmente são bem valorizados, mesmo anos após o lançamento de novas geraçãos. Um bom exemplo disso é o iPhone 11, que mesmo sendo um modelo de 2019 ainda faz bastante sucesso, entrega muita performance e, como consequência, é um ótimo custo-benefício.

Tanto que o modelo ainda é facilmente encontrado no mercado oficial. Da mesma forma, também é possível comprá-lo de “segunda-mão” — há bastante oferta de modelos usados na Internet, inclusive.

Dessa forma, será que vale a pena optar por um iPhone 11 novo ou por um “repassado”? Um iPhone 11 usado ainda vale a pena em 2023? Neste texto eu respondo isso e te ajudo a entender até que ponto compensa ou não comprar um iPhone 11 usado.

O que eu preciso considerar na hora de comprar um iPhone usado?

Além de verificar, é claro, o estado geral do iPhone — se ele tem danos físicos, como arranhões ou trincados na tela e danos na carcaça — é importante se atentar para a saúde da bateria do celular.

Isso porque os celulares da marca permitem visualizar como está o estado do componente, para se ter uma noção aproximada do quando ele terá de duração e desempenho — já que este também é reduzido quando a saúde da bateria é baixa.

A saúde da bateria — que também é medido em porcentagem de zero a cem — não deve ser confundida, no entanto, com o nível de bateria do celular. Este é um dado mais específico, que deve ser visto nas configurações do iPhone. Para isso, é só acessar ‘Ajustes’, ir em ‘Bateria’ e clicar em ‘Saúde da bateria e carregamento’.

iPhone 11 ainda é uma boa escolha em 2023 (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
iPhone 11 ainda é uma boa escolha em 2023 (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

De acordo com a Apple, qualquer nível abaixo de 80% não é bom. Isso porque, a partir deste ponto, além de ter a duração da carga comprometida, o celular também começará a reduzir o desempenho geral para evitar uma descarga ainda mais rápida e correr o risco de deixar o usuário “na mão”, sem bateria.

Em resumo, portanto, se atenha às ofertas de iPhones nos quais o vendedor já anuncia que a saúde da bateria é de pelo menos 85%. Caso ele não informe esse aspecto já no anúncio, sempre entre em contato antes de finalizar a compra para evitar frustrações.

Se você tiver alguma dúvida sobre como funciona a saúde da bateria do iPhone, nós já escrevemos um texto que fala detalhadamente sobre o assunto e qual porcentagem mínima é boa na hora de comprar um iPhone usado.

A linha iPhone 11 ainda vale a pena em 2023?

O iPhone 11 conta com o chip Apple A13 Bionic, que mesmo cerca de quatro anos após seu lançamento, ainda dá conta do recado e o celular aguenta o tranco, mesmo frente aos celulares topos de linha atuais da Maçã. Além disso, o celular tem uma memória RAM de 4 GB e armazenamento interno de até 256 GB. Já as versões Pro e Pro Max têm até 512 GB de espaço para arquivos, apps, entre outros.

O modelo base conta com duas câmeras traseiras de 12 MP e, para selfies, tem uma câmera frontal com a mesma resolução. Já o iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max têm um sensor a mais na parte de trás para zoom óptico, também com 12 MP.

Tudo isso resulta em um bom conjunto de especificações, o que faz do iPhone 11 uma ótima escolha para comprar em 2023 — desde que você encontre um bom preço, é claro.

Compensa comprar um iPhone 11 usado ou é melhor comprar um novo?

Primeiro vamos partir do suposto de que estamos falando de um iPhone usado em boas condições, ou seja, que tem a saúde da bateria acima de 80% — para evitar dores de cabeça no futuro. Além disso, é claro, a estética do aparelho também tem que estar em boas condições, principalmente se esse for um fator muito importante pra você.

Dito isso, vamos aos preços. Para este comparativo, analisei os preços de iPhones usados nas principais plataformas de vendas do Brasil, como OLX e Mercado Livre.

Preços do iPhone 11 usado podem justificar a compra no mercado não-oficial (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Preços do iPhone 11 usado podem justificar a compra no mercado não-oficial (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Em média, um iPhone 11 “comum” está com valores entre R$ 2.300 e R$ 2.600 para a versão de 128 GB. Há ainda outras ofertas que ficam na casa dos R$ 2 mil e R$ 3 mil, mas os vendedores não informaram a quantidade de armazenamento. Para todos, a saúde da bateria estava na casa dos 90%.

Como efeito de comparação, um iPhone 11 novo com 128 GB de armazenamento custa em torno de R$ 3.500 e R$ 4.000 em lojas oficiais, então se você encontrar algum modelo em bom estado e com saúde de bateria com pelo menos 90% nos preços que encontrei na minha pesquisa, estará fazendo um bom negócio.

Compensa comprar um iPhone 11 Pro ou iPhone 11 Pro Max usado ou é melhor comprar um novo?

Considerando os mesmos aspectos da versão base do iPhone 11 — ou seja, estado do aparelho e saúde da bateria — levantei alguns dados sobre as ofertas de iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max usados nas mesmas plataformas de vendas.

Os preços foram bem variados e eu consegui encontrar algumas ofertas muito boas, como uma para a versão de 256 GB de armazenamento do iPhone 11 Pro sendo vendida por cerca de R$ 2.000. Isso foi algo “fora da curva”, no entanto, e a média de preços era mais alta, com a versão de 64 GB custando entre R$ 3.000 e 4.000 nas pesquisas que fiz na OLX e Mercado Livre.

Já as ofertas para o iPhone 11 Pro Max foram mais generosas. Eu achei modelos de 64 GB sendo vendidos por R$ 2.300, apesar de a média ser de R$ 3.000. Pesquisando bem, encontrei modelos com 256 GB com preços também na faixa dos R$ 2.500, mas o valor no geral para outras vendas era de cerca de R$ 4.000.

iPhone 11 Pro e Pro Max já não são tão encontrados em lojas oficiais (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
iPhone 11 Pro e Pro Max já não são tão encontrados em lojas oficiais (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Porém, ambos os modelos já saíram de linha e é mais difícil de serem encontrados em lojas oficiais. Dessa forma, se você não conseguir achar um modelo zero por um preço bom, será mais fácil optar por um usado — desde que em boas condições, é claro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: