Mercado fechará em 2 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    109.736,08
    -50,22 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.508,06
    -228,42 (-0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,55
    +0,64 (+1,43%)
     
  • OURO

    1.809,30
    +4,70 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    19.006,23
    -260,41 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,37
    +6,85 (+1,85%)
     
  • S&P500

    3.624,45
    -10,96 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    29.868,71
    -177,53 (-0,59%)
     
  • FTSE

    6.391,09
    -41,08 (-0,64%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.097,25
    +21,25 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3381
    -0,0588 (-0,92%)
     

Vale diz que 'efeito Covid' aumentou vendas de minério para a China

DIEGO GARCIA
·2 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Vale creditou o aumento nos lucros -que superaram R$ 15 bilhões no terceiro trimestre- ao crescimento na demanda chinesa, que exerceu forte influência sobre as compras de minério de ferro durante a pandemia. "A participação da venda para a China aumentou muito neste ano. É um efeito Covid", disse Marcello Spinelli, diretor executivo da Vale, durante teleconferência na manhã desta quinta (29) com analistas. Segundo a empresa, a participação da China nas vendas de minério de ferro da Vale subiu de 57% para quase 70% desde 2017. A Vale registrou lucro líquido de R$ 15,6 bilhões no terceiro trimestre de 2020, mais que o dobro dos R$ 6,5 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. O melhor resultado aconteceu principalmente pelo aumento de 26% dos preços realizados de minério de ferro e pela alta de 20% no volume de vendas no período. A mineradora já havia registrado lucro de R$ 5,3 bilhões no segundo trimestre de 2020, com efeitos positivos da retomada da demanda chinesa. Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, a empresa fechou o primeiro semestre com lucro acumulado de R$ 6,2 bilhões. A Vale afirmou ainda que conseguiu aumentar a produção neste ano, depois de vê-la cair a níveis mínimos em 2019, após a ruptura da barragem de Brumadinho, em janeiro de 2019. O acidente levou ao aumento nas restrições para a operação de barragens de rejeito de minério no país. Dessa forma, com a retomada da produção, as vendas para a China tiveram um boom, influenciadas pela retomada econômica pós-pandemia no país asiático. "Depois de Brumadinho, o desafio foi manter nosso cliente chinês abastecido, e tivemos um uso do nosso estoque operacional", disse Spinelli. "Estamos nos tornando uma empresa mais segura e fazendo tudo o que puder para garantir a segurança das pessoas", afirmou o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo. "Neste trimestre alcançamos um marco importante na estabilização da nossa produção, com o recorde histórico de produção no Sistema Norte", disse. Segundo a Vale, a reparação de Brumadinho é uma prioridade, com a continuidade das indenizações. De acordo com o relatório do terceiro trimestre, 600 pessoas foram adicionadas aos acordos de indenizações desde o trimestre anterior, contemplando agora 8.200 pessoas.