Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    57.443,98
    -4.895,98 (-7,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Vale conclui venda da VNC para consórcio que inclui Trafigura

·2 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vale concluiu a venda de sua unidade de metais básicos Vale Nova Caledônia (VNC), situada em ilha do Pacífico Sul, para um consórcio que inclui a comercializadora de commodities Trafigura, informou a empresa em comunicado ao mercado nesta quarta-feira.

O consórcio Prony Resources New Caledonia contempla uma participação majoritária e não diluível dos interesses da Nova Caledônia, disse a Vale, que deixou inteiramente o ativo no território francês, segundo a assessoria de imprensa.

Detalhes do acordo não foram divulgados, mas a Vale explicou que a transação provê um pacote financeiro de 1,1 bilhão de dólares às operações de VNC, no qual a Vale Canada Limited contribuirá com 555 milhões de dólares para apoiar a continuidade das operações.

A Vale continuará tendo direito a um contrato de fornecimento de longo prazo para uma parte da produção, continuando assim atendendo a crescente demanda de níquel pela indústria de veículos elétricos.

A mineradora vem buscando há anos uma solução para a VNC, que não apresentava resultados de acordo com as suas expectativas.

Segundo o vice-presidente de Metais Básicos da Vale, Mark Travers, a transação também permite a continuidade do Projeto Lucy para armazenagem de rejeitos a seco.

"Gostaríamos de agradecer o tempo e o esforço de todos os stakeholders para chegar a este acordo, incluindo o Estado Francês e a Província do Sul da Nova Caledônia, e especialmente os funcionários de VNC por sua confiança e apoio durante um processo longo e incerto", disse ele em nota.

O Ministério da Economia francês informou que o governo oferecerá cerca de 500 milhões de euros (587 milhões de dólares) para apoiar o negócio, principalmente por meio de empréstimos e garantias.

O CEO da Vale, Eduardo Bartolomeo, pontuou no comunicado que "após vários meses de negociação", está satisfeito por ter concluído o desinvestimento, "beneficiando os empregados, a Nova Caledônia e todos os seus stakeholders".

"A intenção da Vale desde o início do processo de desinvestimento foi se retirar da Nova Caledônia de uma maneira ordenada e responsável. O acordo cumpre isso", garantiu a companhia ainda no comunicado.

A Vale reafirmou também seu compromisso com seus acionistas na transformação do negócio de metais básicos, simplificando seu fluxo de operações e possibilitando um foco contínuo em seus principais ativos, além de honrar seu novo pacto com a sociedade, contribuindo para a manutenção de um ambiente sustentável para a continuidade das operações.

(Por Marta Nogueira)