Mercado fechará em 1 h 13 min

Vacina para monkeypox chega ainda em setembro; quem será imunizado?

Nos próximos 10 dias, o Brasil deve receber o primeiro lote da vacina contra a varíola dos macacos (monkeypox), segundo previsão do Ministério da Saúde. No total, 50 mil doses do imunizante Jynneos devem desembarcar no país e, inicialmente, serão aplicados em pessoas que têm contato com material contaminado ou indivíduos de maior risco.

"A boa notícia é que podemos fracionar essas doses em até cinco partes. Com isso, podemos beneficiar um número maior de pessoas", explicou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista para a TV Brasil. A mesma estratégia já foi adotada nos Estados Unidos, buscando ampliar a cobertura vacinal contra a monkeypox.

No modelo padrão, 50 mil doses da vacina poderiam imunizar 25 mil pessoas contra a monkeypox, já que são necessárias duas doses por indivíduo. No novo modelo, até 125 mil pessoas serão imunizadas, dependendo dos protocolos e orientações adotados pela pasta.

Brasil deve receber 50 mil doses da vacina contra monkeypox até o final do mês de setembro (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)
Brasil deve receber 50 mil doses da vacina contra monkeypox até o final do mês de setembro (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)

Quem será vacinado contra monkeypox no Brasil?

No momento, o Ministério da Saúde não considera vacinar todos os brasileiros contra varíola dos macacos. De acordo com Queiroga, "a princípio, [o imunizante será oferecido] para quem teve contato com material contaminado ou indivíduos de maior risco".

Aqui, vale explicar que, segundo o ministro, "a doença é mais prevalente em homens que fazem sexo com outros homens, mas qualquer pessoa que teve contato pele com pele ou mucosa com mucosa com alguém infectado pode adquirir [o vírus]".

"Vacinação é estratégia. Precisamos pensar primeiro nos grupos de maior risco, como aqueles em que o vírus circula com mais intensidade, os indivíduos estão mais expostos ao patógeno ou podem ter efeitos mais graves da doença", aponta a médica Isabella Ballalai, da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), para a BBC.

Qual vacina será usada para varíola dos macacos?

Produzida pela farmacêutica dinamarquesa Bavarian Nordic, a vacina Jynneos também recebe o nome de Imvanex. Esta fórmula contra a varíola (smallpox) e a varíola dos macacos é aplicada com agulha padrão — por via subcutânea — e será usada nacionalmente para o controle do surto de monkeypox no Brasil.

Imunização contra a varíola dos macacos será feita com o imunizante Jynneos (Imagem: Nearxiii/Freepik)
Imunização contra a varíola dos macacos será feita com o imunizante Jynneos (Imagem: Nearxiii/Freepik)

Para a imunização completa, são necessárias duas doses e a imunidade já é considerada significativa a partir de 15 dias da segunda dose. Na sua composição, está o vírus vaccinia enfraquecido (atenuado) — este é um parente tanto da smallpox quanto da monkeypox.

Casos de monkeypox no Brasil

Na segunda-feira (19), o Ministério da Saúde contabilizava 7.019 casos oficiais da varíola dos macacos, incluindo duas mortes. Além disso, outros 5.591 casos são considerados suspeitos para a infecção. A seguir, confira os cinco estados que mais registram casos de monkeypox:

  1. São Paulo: 3.495 diagnósticos positivos para a varíola dos macacos;

  2. Rio de Janeiro: 956 diagnósticos;

  3. Minas Gerais: 447 diagnósticos;

  4. Goiás: 405 diagnósticos;

  5. Distrito Federal: 241 diagnósticos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: