Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.621,46
    -2.104,68 (-4,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Vacina de Oxford será testada em crianças e adolescentes pela primeira vez

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Three vials with different vaccines against Covid-19 by (L-R) Moderna, AstraZeneca and Pfizer-BioNTech stand on a table in the pharmacy of the vaccination center at the Robert Bosch hospital in Stuttgart, southern Germany, on February 12, 2021, amid the novel coronavirus / COVID-19 pandemic. (Photo by THOMAS KIENZLE / AFP) (Photo by THOMAS KIENZLE/AFP via Getty Images)

A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca será testada pela primeira vez em crianças e adolescentes.

A universidade anunciou o início dos ensaios clínicos ainda neste mês, em jovens entre seis e 17 anos, em Oxford e mais três cidades: Londres, Southamptom e Bristol.

Leia também

Os cientistas usarão 300 voluntários para avaliar se a vacina também produzirá uma forte resposta imunológica. Até 240 dessas crianças receberão a vacina contra a Covid-19, enquanto as outras tomarão uma vacina de controle de meningite.

A vacina de Oxford é uma das três aprovadas para o uso em adultos no Reino Unido. As outras duas são da Pfizer/BioNTech e Moderna.

“Embora a maioria das crianças não seja relativamente afetada pelo coronavírus e seja improvável que adoeça com a infecção, é importante estabelecer a segurança e a resposta imunológica à vacina em crianças e jovens, pois alguns deles podem se beneficiar da vacinação”, disse Andrew Pollard, pesquisador-chefe dos testes de vacina da universidade de Oxford.

De acordo com a última atualização da Universidade Johns Hopkins, o Reino Unido acumula 4.025.574 casos de covid-19, além de 116.507 mortes causadas pelo novo coronavírus.