Mercado abrirá em 6 h 7 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,07
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.689,60
    +11,60 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    53.870,06
    +3.158,09 (+6,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.085,41
    +61,21 (+5,98%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.693,64
    +152,81 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.386,75
    +89,50 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9718
    +0,0120 (+0,17%)
     

Vacina de Oxford: matéria-prima para produção na Fiocruz deve chegar no sábado

Fidel Forato
·1 minuto de leitura

Até o momento, o Brasil apenas importava doses da vacina de Oxford, desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, no Reino Unido. Agora, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve iniciar a produção do imunizante contra a COVID-19 com a chegada de insumos no país. Nesta quinta-feira (4), o Ministério da Saúde confirmou que o primeiro lote chegará neste sábado (6).

O primeiro lote do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), fabricado na China, estava previsto inicialmente para ser entregue em janeiro, mas ocorreram atrasos na liberação do insumo. Independente disso, a Fiocruz mantém a previsão de produzir 100 milhões de doses da vacina até o fim de julho.

Matéria-prima para produção da vacina de Oxford deve chegar no sábado (Imagem: Maksim Goncharenok/ Pexels)
Matéria-prima para produção da vacina de Oxford deve chegar no sábado (Imagem: Maksim Goncharenok/ Pexels)

Com essa primeira carga de insumos, a Fiocruz poderá produzir, nacionalmente, até 7,5 milhões de doses do imunizante contra o coronavírus. Além dessa importação, outras 13 remessas estão previstas no acordo com a farmacêutica e devem ser entregues em sequência.

Matéria-prima para a vacina de Oxford

Os insumos sairão de Xangai, na China, às 20h35 desta quinta-feira, no horário de Brasília, e devem chegar ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (RIOGaleão), às 17h50, do sábado. Na sexta-feira (5), o governo brasileiro deve divulgar mais detalhes. Isso porque o lote ainda deve ser vistoriado, antes do início da produção nacional do imunizante de Oxford.

Segundo a Fiocruz, a fábrica poderá, em sua capacidade máxima, produzir até 1,4 milhão de doses por dia. No entanto, a estrutura não deve alcançar essa quantidade, por enquanto — já que os insumos ainda não serão produzidos no Brasil. Quando a transferência de tecnologia for concluída, será possível ampliar a produção para essas quantidades.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: