Mercado fechará em 3 h 20 min
  • BOVESPA

    111.362,89
    -2.431,39 (-2,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.565,97
    -626,36 (-1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,86
    -0,75 (-1,03%)
     
  • OURO

    1.754,00
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    47.679,56
    -360,71 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.210,93
    -14,60 (-1,19%)
     
  • S&P500

    4.448,21
    -25,54 (-0,57%)
     
  • DOW JONES

    34.653,98
    -97,34 (-0,28%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2062
    +0,0214 (+0,35%)
     

Vacina nasal contra covid obteve eficácia geral de 68,83%, diz pesquisa chinesa

·2 minuto de leitura

Para combater o coronavírus SARS-CoV-2, pesquisadores chineses desenvolveram a primeira vacina inalável contra o agente infeccioso e, nos próximos meses, o anúncio oficial do imunizante deve ser feito. A pesquisa foi coordenada pelo cientista Chen Wei, do Instituto Militar de Pesquisa Médica da China, e teve parceria com a empresa Convidecia Biologicals. É possível que a fórmula seja inalada através de um nebulizador ou de um spray nasal.

Segundo os dados (preliminares e ainda não publicados) da pesquisa, é necessária apenas uma dose do imunizante inalável para se obter uma boa proteção contra o coronavírus. A taxa global de proteção — o que inclui casos sintomáticos da doença —, após 14 dias da aplicação, foi de 68,83% e a eficácia contra casos graves chegou a 95,47%. Passados 28 dias, a proteção global caiu para 65,28%, sendo que contra formas graves chegou a 90,07%.

Vacina inalável contra a covid-19 é desenvolvida por pesquisadores chineses (Imagem: Reprodução/Choreograph/Envato Elements)
Vacina inalável contra a covid-19 é desenvolvida por pesquisadores chineses (Imagem: Reprodução/Choreograph/Envato Elements)

A apresentação do novo imunizante deve ser feita entre os dias 12 e 14 de novembro, durante a 5ª Exposição Internacional da Indústria da Saúde de Hainan 2021. No Brasil, um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) planeja concluir os estudos para um imunizante do tipo em 2022.

Como a vacina nasal deve ser aplicada?

Por enquanto, foram publicados os resultados do estudo de Fase 1 da vacina inalável chinesa contra a covid-19. De acordo com o artigo publicado na revista científica The Lancet Infectious Diseases, os estudos inicias demostraram que o método de inalação nebulizada tinha um perfil de segurança significativamente melhor do que a injeção intramuscular. Além disso, foi observada uma menor indecência de reações adversas com o novo método.

Vale explicar que, quando um imunizante é nebulizado, o paciente recebe a fórmula através de um aparelho similar ao usado para fazer inalação. Nesses casos, minúsculas partículas da vacina são inaladas, entrando pelo trato respiratório e pelos pulmões do paciente. Dessa forma, é também estimulada a imunidade diretamente na mucosa nasal do indivíduo, uma das principais portas de entrada para o coronavírus.

Anteriormente, o pesquisador Chen Wei comentou que a vacina no novo formato demandava uma concentração menor que a injeção intramuscular. A dose é, aproximadamente, um quinto menor. Para desenvolver a fórmula, o imunizante é baseado na tecnologia de vetor viral, ou seja, usa um outro agente infeccioso para carregar fragmentos do coronavírus e proteger contra a covid-19. No caso, é adotado o vírus da influenza (gripe), inativado e editado geneticamente.

Para conferir os estudos clínicos de Fase 1 da vacina contra a covid-19 em formato de spray, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos