Mercado fechado

Vacina de São Paulo deve estar pronta até junho de 2021, diz Doria

Parceira entre Instituto Butantã e Sinovac Biotech foi anunciada nesta quinta. (Foto: Getty Editorial)

A vacina contra o novo coronavírus que está sendo produzida em conjunto pelo Instituto Butantan e pela Sinovac Biotech, uma gigante biofarmacêutica chinesa, deverá ser disponibilizada à população até o primeiro semestre do ano que vem. O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na tarde desta quinta-feira (11).

“O mundo tem hoje mais de 100 vacinas em desenvolvimento, mas apenas 10 avançaram para a fase final de testes em humanos. A vacina do Instituto Butantan está entre elas. Estudos indicam que essa vacina estará disponível no primeiro semestre de 2021, ou seja, até junho do ano que vem. Com essa vacina, poderemos imunizar milhões de brasileiros”, afirmou Doria.

Leia também

O anúncio da parceria no desenvolvimento da vacina, batizada de ‘CoronaVac’, foi feito por Doria na manhã desta quinta nas redes sociais. O governador garantiu que a vacina produzida no estado é uma das que estão em estágio mais avançado em todo o mundo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O acordo firmado entre governo e o laboratório chinês prevê a participação de São Paulo na realização de testes clínicos dessa vacina. Os testes, segundo Doria, começarão em julho deste ano e envolverão 9 mil brasileiros. “Dentro, portanto, de três semanas, 9 mil voluntários já estarão sendo testados aqui no Brasil”.

Caso a vacina seja segura e comprovadamente eficaz contra o vírus Sars-Cov-2, agente infeccioso da Covid-19, o Instituto Butantan terá o domínio da tecnologia, permitindo que o laboratório brasileiro produza a vacina e forneça-a gratuitamente ao SUS (Sistema Único de Saúde).

A assinatura do acordo com a Sinovac Biotech, segundo Doria, teve início em agosto do ano passado durante visita a China e inauguração do escritório comercial de São Paulo em Xangai. Na primeira fase de testes, foram envolvidos 144 voluntários, enquanto a fase 2 teve os testes ampliados para 600 voluntários chineses.