Mercado fechado

Vacina da Oxford mostra eficácia de 76% três meses após a primeira dose

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

A Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca acabam de revelar a eficácia da sua vacina contra a COVID-19 em apenas uma dose: 76% contra a infecção assintomática, três meses depois da aplicação. O resultado veio de um estudo que ainda não passou por revisão, mas que já traz esperanças de que a vacina ajude no controle da pandemia quando houver atraso na fabricação e entrega da segunda dose.

Com o número, as autoridades da Inglaterra ficam mais seguras com a decisão de estender o intervalo entre as doses da vacina para 12 semanas. O investigador-chefe do programa de testes de vacinas da Oxford, Andrew Pollard, deixa claro, no entanto, que as pessoas já ficam protegidas 22 dias depois de receberem uma única dose. Recentemente, a Inglaterra decidiu que faria a extensão do intervalo entre cada dose para que uma quantidade maior de pessoas tivesse a chance de ser vacinada o mais rápido possível.

Os testes que chegaram a esses resultados foram realizados aqui no Brasil, na Inglaterra e na África do Sul, com a eficácia de apenas uma dose sendo analisada em voluntários de 18 a 55 anos. O intervalo das doses foi considerado a partir do 22º dia após a aplicação da primeira até o 90º dia. "A análise modelada indicou que a proteção não diminuiu no período inicial de três meses", diz o estudo.

Caption
Caption

A pesquisa mostra ainda que, após a aplicação da segunda dose, também 12 semanas depois, a eficácia sobe para 82,4%, sendo maior do que quando acontece em menos de seis semanas depois da primeira dose, que traz eficácia de 54,9%. No entanto, o estudo não apontou mais informações sobre a eficácia das doses entre as pessoas mais velhas, que receberam a prioridade de aplicação, em um intervalo maior. O maior espaço de tempo entre uma dose e outra em maiores de 56 anos foi de seis a oito semanas. Mesmo assim, a Inglaterra diz estar confiante de que a imunidade será igual para todos os grupos de idade.

Ainda segundo o estudo, nenhuma das 12.408 pessoas vacinadas com apenas uma dose foi hospitalizada por complicações da COVID-19 depois do 22º dia de imunização. Além disso, a vacina teria reduzido as infecções, com 67% menos resultados positivos entre os vacinados nos testes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: