Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    18.886,11
    -8,41 (-0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Vacina da Oxford contra a COVID apresenta boa resposta imune em todas as idades

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

A vacina da Oxford contra a COVID-19, batizada de AZD1222, que vem sendo desenvolvida em parceria com a empresa farmacêutica AstraZeneca, vem trazendo resultados positivos. Agora, os pesquisadores revelaram que os testes produziram resposta imune tanto de adultos mais velhos como de jovens.

A fase 2 dos testes mostraram que voluntários com idade maior que 56, alguns deles com mais de 70, produziram a mesma quantidade de anticorpos que os participantes mais jovens. Além disso, a vacina apresentou ainda menos efeitos colaterais nos idosos, o que traz mais pontos positivos em relação à segurança das doses.

<em>Imagem: Reprodução/Gustavo Fring/Pexels</em>
Imagem: Reprodução/Gustavo Fring/Pexels

De acordo com a AstraZeneca, a vacina deve estar disponível de forma limitada dentro dos próximos meses e, se houver a aprovação dos países, isso deve começar a acontecer até o fim do ano. A companhia já se comprometeu com a fabricação de três bilhões de doses, o equivalente a 1,5 bilhão de pessoas recebendo duas doses da vacina.

A fase 3 dos testes, que também será a final, será realizada aqui no Brasil, além do Japão, Índia, África do Sul, Estados Unidos e Reino Unido. A vacina da Oxford deve ser uma das primeiras a obter a aprovação regulatória, junto às doses da Pfizer e BioNTech.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: