Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.445,71
    +115,43 (+0,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Vacina da Moderna previne 83% dos casos de infecção pelo VSR em idosos

Após o sucesso do uso da tecnologia de RNA mensageiro (mRNA) no controle da covid-19, a empresa norte-americana Moderna investiu recursos para prevenir infecções pelo vírus sincicial respiratório (VSR), através de uma nova vacina. Na terceira e última fase do estudo clínico com idosos, o imunizante obteve uma taxa de eficácia de 83,7% na prevenção da doença com sintomas.

Vale explicar que "o VSR afeta significativamente a saúde de adultos mais velhos e de alto risco, principalmente aqueles com comorbidades", afirma Abdullah Baqui, um dos autores do atual estudo e pesquisador da Universidade Johns Hopkins, em comunicado. Além dos indivíduos com mais de 60 anos, a infecção pode ser grave em bebês e crianças.

Diante dos resultados positivos — que, até o momento, não foram publicados em nenhuma revista científica —, a Moderna planeja solicitar a autorização de uso da vacina de mRNA contra o VSR ainda no primeiro semestre deste ano. Oficialmente, a fórmula da Moderna recebe o nome de mRNA-1345 VSR.

Entenda o risco da infecção respiratória pelo VSR

De forma geral, o VSR é uma das principais causas de infecções no trato respiratório inferior e de quadros de pneumonia, conhecido por ser altamente contagioso e ter um comportamento sazonal — casos são mais frequentes entre o inverno e o início da primavera.

Vacina da Moderna contra o VSR tem eficácia de 83% em idosos, segundo estudo de Fase 3 (Imagem: Erika8213/Envato Elements)
Vacina da Moderna contra o VSR tem eficácia de 83% em idosos, segundo estudo de Fase 3 (Imagem: Erika8213/Envato Elements)

Em adultos, a infecção pode provocar desconforto respiratório, pneumonia, bronquite, hospitalização e, em casos extremos, morte, especialmente quando existem comorbidades. Além da infecção aguda, o vírus pode piorar quadros que o paciente já tem, como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

"Em lactentes e crianças pequenas, a primeira infecção pode causar bronquiolite grave que, às vezes, pode ser fatal", detalha a Organização Mundial da Saúde (OMS). O risco de óbito também é elevado para idosos e pessoas imunossuprimidas.

Como foi feito o estudo da vacina de mRNA da Moderna?

Na pesquisa de Fase 3 da vacina, os pesquisadores recrutaram 37 mil pessoas com 60 anos ou mais, provenientes de 22 países, incluindo os EUA. Para garantir a validade dos resultados, o atual estudo foi feito de modo randomizado, duplo-cego e controlado por placebo.

Em paralelo aos testes com idosos, a Moderna iniciou a primeira fase de um estudo com a vacina de mRNA em população pediátrica. Nesta etapa, a ideia é entender se a fórmula consegue sensibilizar o sistema imunológico das crianças, como ocorre com os mais velhos, e se é segura.

Para além do VSR e da covid-19, a farmacêutica trabalha em um novo ecossistema de vacinas, baseadas na tecnologia de mRNA. Por exemplo, são realizados testes com fórmulas para o combate do câncer e também contra o HIV.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: