Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.922,20
    +321,54 (+0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Vacina da Moderna oferece proteção por pelo menos 6 meses

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Com resultados trimestrais acima das expectativas, a Moderna disse que sua vacina contra a Covid-19 mostrou 93% de eficácia ao longo de seis meses depois da segunda dose.

Uma análise final do estudo em estágio avançado da empresa, divulgada em comunicado na quinta-feira, sugere que a proteção da vacina permanece estável por muito tempo depois da imunização completa com as duas doses. O nível de eficácia de 93% é ligeiramente inferior à taxa inicial de 94% do imunizante mostrada em estudos.

A preocupação de que a eficácia das vacinas contra a Covid-19 possa diminuir gera a expectativa de doses de reforço, e alguns países começaram a oferecer uma terceira dose a pessoas vulneráveis. No entanto, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu o adiamento de tais medidas na quarta-feira até que mais pessoas de países em desenvolvimento sejam vacinadas. A recomendação pode limitar o alcance da vacina da Moderna, chamada Spikevax.

Os dados de eficácia mais recentes da Moderna não foram publicados em uma revista médica e mais detalhes não foram divulgados. Apesar da resistência aparente de seu imunizante, a Moderna estuda opções de doses suplementares que poderiam combater novas cepas do vírus.

Todas as três candidatas a vacinas de reforço da empresa produziram “respostas robustas de anticorpos” contra a delta e outras variantes preocupantes em estudo com humanos em fase 2, disse a Moderna no comunicado. As vacinas de reforço estão sendo testadas com uma dose de 50 microgramas, ou metade da quantidade usada atualmente. Esses dados foram submetidos a uma revista para publicação, disse a empresa.

Aprovação

A Moderna, com sede em Cambridge, Massachusetts, também espera concluir o pedido de aprovação completa para sua vacina à agência FDA neste mês.

A agência já analisa o pedido do imunizante de RNA mensageiro da Pfizer e BioNTech, a mesma tecnologia usada pela Moderna. A FDA está sob pressão para concluir o processo rapidamente. Com a variante delta causando nova onda de casos, alguns argumentam que a aprovação completa poderia ajudar a convencer mais pessoas a se vacinarem.

A Moderna, que lucrou pela primeira vez início do ano, teve lucro líquido de quase US$ 2,8 bilhões no trimestre encerrado em 30 de junho, com receita de US$ 4,4 bilhões, quase todos provenientes de sua vacina contra a Covid-19.

A empresa disse no comunicado que assinou US$ 20 bilhões em contratos de compra de sua vacina contra a Covid-19 para 2021, acima dos US$ 19,2 bilhões anunciados em maio. Para 2022, já assinou acordos de US$ 12 bilhões em vendas de vacinas com opções para mais US$ 8 bilhões. A Moderna não aumentou a previsão de que produzirá de 800 milhões a 1 bilhão de doses de seu imunizante este ano.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos