Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,45
    +0,13 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.743,00
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    60.166,73
    +1.099,62 (+1,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,35 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,06 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.828,75
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7626
    +0,1277 (+1,92%)
     

Vacina da Moderna contra cepa sul-africana está pronta para teste (empresa)

·1 minuto de leitura
A vacina da Moderna é preparada para ser aplicada em uma paciente em Los Angeles em 24 de fevereiro de 2021

A empresa americana de biotecnologia Moderna anunciou nesta quarta-feira (24) que está pronta para submeter a testes em humanos uma vacina contra a covid-19, desenvolvida especificamente para a cepa do vírus detectada na África do Sul.

"Esperamos ansiosos o início do teste clínico", disse o diretor-executivo da empresa, Stephane Bancel.

A cepa sul-africana é considerada uma das variantes mais perigosas da covid-19 porque consegue escapar de alguns dos bloqueios que os anticorpos estabelecem contra versões antigas do vírus.

Isso implica que as pessoas infectadas com variantes anteriores são mais suscetíveis a voltar a se infectar, e a pesquisa mostrou que a proteção da primeira geração de vacinas é menor, embora a maioria ainda seja eficaz.

No comunicado, a farmacêutica reafirmou que sua vacina já aprovada - que já está em fase de distribuição - tem capacidade "neutralizante" contra essa cepa, mas que por "precaução" a empresa decidiu aplicar mais de uma estratégia.

Com relação à estratégia clínica, uma forma é usar a variante sul-africana chamada mRNA-1273.351 como reforço ou criar um novo composto que incorpore essa cepa.

A empresa também pode aplicar uma terceira dose para aumentar o nível de imunidade.

A Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de alimentos e medicamentos dos EUA, anunciou na segunda-feira que as empresas farmacêuticas que desenvolvem vacinas para variantes específicas não precisarão passar por todo o processo de autorização.

A Moderna também anunciou que aumentará sua capacidade de produção global para 1,4 bilhão de doses de sua vacina até 2022.

Além disso, revelou que aumentará seu plano de produção de 2021 de 600 milhões de doses para 700 milhões. A Moderna já enviou 60 milhões de doses até agora, 55 milhões nos Estados Unidos.

ia-an/dga/jc/mvv