Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.188,49
    -573,88 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Vacina da Johnson & Johnson contra o HIV falha em testes na África

·1 minuto de leitura

A Johnson & Johnson acaba de anunciar que a sua vacina experimental contra o vírus HIV falhou em testes. De acordo com a companhia, o imunizante não gerou proteção suficiente contra a infecção em mulheres jovens da África Subsaariana.

O estudo, que foi batizado de Imbokodo, contou com a participação de 2.600 mulheres em cinco países da região Sul da África, onde 60% das infecções pelo HIV em 2020 foram em meninas e mulheres. A vacina do teste contava com a mesma tecnologia de adenovírus do imunizante da Johnson & Johnson contra a COVID-19, e cada participante recebeu o total de quatro doses: duas oficiais e duas de reforço.

<em>Imagem: Reprodução/Rthanuthattaphong/Envato Elements</em>
Imagem: Reprodução/Rthanuthattaphong/Envato Elements

Os testes mostraram eficácia de apenas 25,2%, de uma meta de 50%, sendo suficiente para que os experimentos com essa vacina não continuem. A empresa diz, no entanto, que vai continuar fazendo testes de segurança e eficácia de outra vacina experimental entre homens homossexuais e transgêneros. Essa pesquisa acontecerá na Europa e nas Américas, e deve chegar ao fim somente em março de 2024.

A AIDS, doença provocada pelo vírus HIV, é completamente tratável, mas também letal. Cerca de 38 milhões de pessoas sofrem com a doença todos os anos, e cerca de 1,5 milhões de indivíduos foram infectados somente no ano passado. Com uma vacina, então, muitos casos poderiam ser evitados, o que motiva os esforços de farmacêuticas na busca por um imunizante eficaz.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos