Mercado fechará em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    120.467,61
    -774,02 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.605,09
    -852,93 (-1,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,92
    +0,56 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.841,70
    +11,80 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    37.216,73
    +774,99 (+2,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    737,26
    +22,06 (+3,08%)
     
  • S&P500

    3.792,26
    +24,01 (+0,64%)
     
  • DOW JONES

    30.948,37
    +134,11 (+0,44%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.915,00
    +112,75 (+0,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4561
    +0,0608 (+0,95%)
     

Vacina da Bharat Biotech contra COVID-19 fecha acordo com empresa brasileira

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

Para a imunização nacional contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Brasil poderá contar também com a vacina Covaxin, desenvolvida pela farmacêutica Bharat Biotech, caso seja aprovada. Isso porque, nesta terça-feira (12), a empresa indiana anunciou um acordo para o fornecimento do imunizante contra a COVID-19, no país, com a Precisa Medicamentos.

Para fechar o acordo de fornecimento da Covaxin, uma equipe da companhia brasileira visitou as instalações da farmacêutica indiana na semana passada, entre os dias 7 e 8 de janeiro. Na ocasião, o embaixador do Brasil na Índia, André Aranha Corrêa do Lago, também participou de parte das visitas, via videoconferência. Segundo a empresa nacional, Lago teria expressado interesse na aquisição do imunizante, em nome do governo brasileiro.

Vacina Covaxin contra a COVID-19 fecha acorda para importação no Brasil (Imagem: Reprodução/ CDC / Unsplash)
Vacina Covaxin contra a COVID-19 fecha acorda para importação no Brasil (Imagem: Reprodução/ CDC / Unsplash)

Caso o imunizante contra a COVID-19 seja aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o fornecimento da Covaxin deve priorizar o setor público brasileiro, através do Ministério da Saúde. No entanto, também existe a possibilidade da vacina ser disponibilizada também no sistema privado. Ainda na semana passada, a Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC) enviou uma delegação para negociar uma possível compra de doses da Covaxin.

Neste mês, a vacina contra a COVID-19 da Bharat Biotech recebeu autorização de uso emergencial da agência reguladora de medicamentos da Índia, segundo o rastreador de vacinas de coronavírus do jornal The New York Times.

Eficácia da Covaxin contra a COVID-19

Além da farmacêutica Bharat Biotech, a Covaxin é desenvolvida em parceria com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica (ICMR) e o Instituto Nacional de Virologia (NIV). Atualmente, os estudos de fase 3 ainda estão em andamento, com cerca de 26 mil voluntários em toda a Índia. Até o momento, não foram divulgados detalhes sobre a sua eficácia.

Antes da pesquisa em humanos, a fórmula foi testada tanto em hamsters quanto em macacos Rhesus. Já os estudos clínicos de fase 1 e 2 envolveram cerca de mil voluntários, tendo apresentado resultados promissores de segurança e resposta imunológica contra a COVID-19.

Para a imunização completa contra o coronavírus, são necessárias duas doses da vacina desenvolvida a partir do vírus da COVID-19 inativado (quando o vírus está "morto"). Dessa forma, a Covaxin ativa o sistema imunológico do paciente através de diferentes proteínas-alvo do agente infeccioso, além da proteína espicular, característica do vírus. Uma das vantagens da fórmula é sua fácil capacidade de armazenamento, já que pode ser guardada em freezer comuns, entre 2°C e 8°C.

Para acessar os resultados dos estudos clínicos de fase 2 da Covaxin, publicado na MedRxiv, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: