Mercado fechará em 4 h 29 min
  • BOVESPA

    111.667,04
    -2.127,24 (-1,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.683,52
    -508,81 (-0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,70
    -0,91 (-1,25%)
     
  • OURO

    1.754,70
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    47.524,41
    -586,29 (-1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.208,77
    -16,76 (-1,37%)
     
  • S&P500

    4.437,87
    -35,88 (-0,80%)
     
  • DOW JONES

    34.545,78
    -205,54 (-0,59%)
     
  • FTSE

    6.963,43
    -64,05 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2287
    +0,0439 (+0,71%)
     

Vacina contra a ebola é segura e traz boa resposta imune em crianças e adultos

·1 minuto de leitura

A vacina da Johnson & Johnson contra o ebola apresentou resultados satisfatórios em crianças e adultos, segundo um estudo publicado pela empresa. De acordo com a pesquisa, as duas doses do imunizante produzem uma forte resposta imunológica contra a doença em pessoas com mais de um ano.

O estudo foi realizado na cidade de Kambia, em Serra Leoa, na África Ocidental, região que passou por um grande surto de ebola entre os anos de 2014 a 2016, sendo o pior já registrado até então. Durante o surto da Ebola, foram relatados 28.652 casos e 11.325 mortes. Cerca de 20% dos casos foram de crianças com menos de 15 anos, e menores de cinco anos têm mais chance de morrer pela doença do que adultos.

<em>Imagem: Reprodução/CDC/Unsplash</em>
Imagem: Reprodução/CDC/Unsplash

A pesquisa é a primeira a avaliar a segurança e tolerabilidade de uma vacina contra o vírus ebola no local, e também a primeira que avalia o esquema vacinal em crianças. Os autores do estudo concluíram que o imunizante foi bem tolerado, induzindo a formação de anticorpos contra o ebolavírus do Zaire cerca de 21 dias após a segunda dose em 98% dos participantes. A resposta imune persistiu ativa em adultos por, pelo menos, dois anos.

Muhammed Afolabi, principal autor do estudo, diz que a pesquisa representa um progresso importante para a imunização contra a doença, principalmente em crianças, contribuindo para a resposta e preparação da saúde pública para evitar surtos. "Os resultados mostram que este esquema vacinal tem o potencial de salvar muitas vidas jovens", diz o pesquisador.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos