Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.399,91
    +2.506,59 (+2,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.895,63
    +1.116,76 (+2,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,13
    -0,42 (-0,94%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    18.737,27
    -113,11 (-0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    368,19
    -11,67 (-3,07%)
     
  • S&P500

    3.662,45
    +40,82 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    29.823,92
    +185,28 (+0,63%)
     
  • FTSE

    6.384,73
    +118,54 (+1,89%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.811,17
    +23,63 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    12.423,00
    -29,25 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3038
    -0,0032 (-0,05%)
     

Vacina com 94,5% de eficácia contra o coronavírus pode chegar ao Brasil

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

Um dia depois de anunciar que a vacina contra a COVID-19 obteve 94,5% de eficácia no combate ao vírus, a Moderna pode trazer as doses para o Brasil, graças à participação do país no Fundo de Acesso Global à Vacina para a COVID-19 (Covax).

O governo do Brasil adquiriu cota de R$ 2,5 bilhões, o que garante o desembarque de cerca de 42 milhões das doses da vacina da Moderna, ou de outras companhias que fazem parte do Covax assim que houver a regulamentação. No entanto, O Ministério da Saúde não especifica qual vacina será a primeira a ser disponibilizada.

<em>Imagem: Divulgação/Karolina Kaboompics/Rawpixel</em>
Imagem: Divulgação/Karolina Kaboompics/Rawpixel

"Atualmente, o ministério acompanha cerca de 270 pesquisas, muitas já em estágio avançado e com resultados promissores. Todas as apostas necessárias serão feitas para achar uma solução definitiva para imunizar a população brasileira", disse o Ministério da Saúde em nota. Além da Moderna, Pfizer/BioNTech também anunciou neste mês resultados positivos dos testes, mas ela não faz parte do Covax.

Com os resultados dos testes de ambas as vacinas, mais de um bilhão de pessoas devem ser imunizadas no mundo todo até o fim do ano que vem, cada pessoa recebendo duas doses para uma maior eficácia. Apesar das expectativas, ainda é preciso aguardar o resultado de novos testes, além da regulamentação pelos órgãos responsáveis, que aqui no Brasil será feito pela Anvisa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: