Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.107,86
    -7.084,45 (-12,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Vacinação reduz em 16 vezes probabilidade de morte por Covid-19

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Pessoas com imunização completa têm 16 vezes menos probabilidade de serem internadas em unidades de terapia intensiva ou morrer de Covid-19 do que indivíduos não vacinados, segundo estudo do governo australiano.

Most Read from Bloomberg

Quase 16 em cada 100 mil pessoas ainda não vacinadas contra a Covid foram para a UTI ou morreram após contraírem o coronavírus, em comparação com menos de uma em cada 100 mil com esquema vacinal completo, segundo dados compilados por autoridades de saúde em Nova Gales do Sul, o estado mais populoso da Austrália. O país aplicou vacinas de RNA mensageiro, consideradas altamente eficazes, tanto a desenvolvida pela Pfizer e BioNTech quanto o imunizante da Moderna. A vacina de vetor viral da Universidade de Oxford e AstraZeneca também foi usada na campanha.

Os resultados reforçam dados de que a proteção das vacinas contra casos graves e mortes por Covid se mantém mesmo com a queda de anticorpos ao longo do tempo, o que pode levar a reinfecções. Dados coletados no Texas mostraram que pessoas não vacinadas tinham 20 vezes mais probabilidade de morrer de Covid do que indivíduos com imunização completa.

Essas pesquisas devem sustentar o argumento para que os países tratem a Covid como endêmica, o que resultaria em casos leves entre a maioria de vacinados. A imunização em massa alivia a pressão sobre sistemas de saúde, evitando sobrecarregar hospitais e uma maior demanda por cuidados intensivos e ventilação, que marcaram a crise em muitos países durante os primeiros dias da pandemia.

Os dados coletados em Nova Gales do Sul também mostraram que a vacinação reduziu o risco de infecção em mais de 10 vezes em relação a pessoas não vacinadas nas duas semanas até 7 de setembro. As vacinas pareciam mais eficazes em proteger adolescentes do coronavírus em comparação com pessoas de maior faixa etária.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos