Mercado abrirá em 3 h 25 min
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,51
    -0,34 (-0,64%)
     
  • OURO

    1.837,50
    -7,40 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    31.068,52
    -764,67 (-2,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    626,98
    -0,68 (-0,11%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.516,84
    -50,53 (-0,77%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    13.024,50
    -81,00 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

Vacinação nacional contra COVID-19 pode começar no dia 21, segundo fonte

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

No combate ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Brasil ainda não definiu uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra a COVID-19. Nesta quarta-feira (13), circulou a informação de que o Ministério da Saúde avaliava promover a imunização de um profissional de saúde e uma pessoa idosa, grupos considerados prioritários, durante um evento no Palácio do Planalto, em Brasília, na próxima terça (19). A vacina escolhida para isso seria a de Oxford.

Além do evento onde os primeiros brasileiros seriam imunizados, existe uma alta expectativa quanto ao início da vacinação nacional contra a COVID-19. Nesse sentido, uma fonte do governo afirmou que o Ministério da Saúde pretende iniciar a vacinação, em massa e em todos os estados, no próximo dia 21 de janeiro, segundo apurou o jornal Valor Econômico.

De forma nacional, vacinação contra a COVID-19 pode começar no dia 21 de janeiro (Imagem: Reprodução/ Maksim Goncharenok/ Pexels)
De forma nacional, vacinação contra a COVID-19 pode começar no dia 21 de janeiro (Imagem: Reprodução/ Maksim Goncharenok/ Pexels)

Isso porque não haveria tempo hábil para a organização de uma estrutura capaz de atingir todos os estados e distribuir as vacinas em apenas seis dias. Para entender a situação, as doses do imunizante contra a COVID-19 não chegaram ao país. Na quinta-feira (14), um avião brasileiro deve decolar rumo a Mumbai, na Índia, para importar as duas milhões de doses do imunizante contra o coronavírus, já adquiridas pelo Ministério da Saúde.

Depois da chegada das doses, ainda será preciso inspecionar, reembalar e fazer outros procedimentos com as vacinas desenvolvidas pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, importadas da Índia. Além disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também precisará aprovar, de forma emergencial, a vacina de Oxford.

Devido a essa complexa logística envolvida, é importante ressaltar que tais informações se tratam apenas de previsões para o início da vacinação contra a COVID-19 no Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: