Mercado abrirá em 6 h 32 min
  • BOVESPA

    121.909,03
    -128,97 (-0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.867,15
    +618,15 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,68
    -0,24 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.835,70
    -1,90 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    55.166,13
    -3.803,70 (-6,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.463,28
    -98,02 (-6,28%)
     
  • S&P500

    4.188,43
    -44,17 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    34.742,82
    -34,98 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.123,68
    -6,03 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    28.104,16
    -491,54 (-1,72%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.261,50
    -95,25 (-0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3614
    +0,0212 (+0,33%)
     

Vacinação com a Johnson & Johnson deve ser retomada nos EUA em breve, diz Fauci

·1 minuto de leitura
Profissional de saúde prepara dose de vacina anticovid da Johnson & Johnson para aplicação em Delano, Califórnia, em 13 de março de 2021

A aplicação da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson, interrompida nos Estados Unidos, deve ser retomada em breve, talvez com algumas "restrições", disse o consultor médico da Casa Branca, Anthony Fauci, neste domingo(18), embora a decisão deva ser divulgada até sexta-feira.

“Acho que não iremos além da sexta-feira com a extensão dessa pausa”, disse o Dr. Fauci na ABC, referindo-se ao grupo de especialistas que deve se reunir em breve para avaliar a possível relação entre o imunizante e a formação de coágulos de sangue.

“Acho que (a vacinação) será retomada, talvez com restrições. Não tenho certeza de quais serão, se serão vinculadas à idade ou ao sexo, ou se será simplesmente acompanhada de um aviso”, acrescentou.

Washington suspendeu na terça-feira o uso da vacina criada pelo laboratório americano para investigar os seis casos de mulheres - uma delas morreu - que desenvolveram graves coágulos sanguíneos associados a baixos níveis de plaquetas após receberem a injeção.

Os membros do grupo de especialistas, reunidos pela primeira vez na quarta-feira a pedido do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), principal agência de saúde pública do país, disseram que precisariam de mais tempo antes de decidir sobre uma possível restrição da vacina.

Destacando que não queria "antecipar" as decisões deste grupo, o Dr. Fauci lembrou que os casos graves de coágulos sanguíneos foram "extremamente raros" e que a pausa na administração da vacina foi decidida para "examinar a situação e certificar-se de que temos todas as informações possíveis".

led/elc/rs/gma/jc