Mercado abrirá em 5 h 3 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,37
    +0,61 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.797,80
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    62.009,79
    +1.225,15 (+2,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.170,24
    +43,31 (+0,17%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.377,25
    +36,25 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5797
    -0,0011 (-0,02%)
     

Vacinação com CoronaVac é suspensa no Rio por falta de doses disponíveis

·1 minuto de leitura

A situação da vacinação contra covid-19 ficou apertada no Rio de Janeiro nesta semana, devido à falta de doses do imunizante da CoronaVac. O município precisou suspender a aplicação da segunda dose por conta dessa escassez.

Com isso, a Secretaria Municipal de Saúde aguarda a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou um lote de 166 mil vacinas, que integra uma remessa suspensa de forma cautelar. No começo do mês, a Anvisa interditou 25 lotes, que consistem em 12,1 milhões de imunizantes enviados pela fabricante chinesa Sinovac, parceira do Instituto Butantan na produção da CoronaVac.

O argumento da agência é que a fábrica de onde vieram os imunizantes não recebeu autorização de uso emergencial emitida para a vacina.

(Imagem: Elements/twenty20photos)
(Imagem: Elements/twenty20photos)

Mas vale ressaltar que, mesmo frente à suspensão das aplicações de CoronaVac, a vacinação com outros imunizantes continua ocorrendo normalmente no Rio de Janeiro, conforme o calendário, tanto para a primeira quanto para a segunda dose, além da dose de reforço.

Atualmente, a primeira dose está sendo aplicada a adolescentes e a grávidas, lactantes, puérperas e pessoas com deficiência de 12 anos ou mais. Enquanto isso, a dose de reforço está sendo aplicada em idosos com 91 anos ou mais e a pessoas com alto grau de imunossupressão, com 60 anos ou mais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos