Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.008,71
    -667,43 (-1,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Vítimas do maior roubo de Bitcoins da história receberão indenização de US$ 9 bi

·2 min de leitura

Embora hoje em dia os golpes de roubo de criptoativos sejam, de certa forma, comuns, há sete anos o cenário era bem diferente. Um exemplo é o incidente ocorrido com a exchange Mt.Gox em 2014, uma das primeiras grandes crises do mercado de criptomoedas, e considerado até hoje o maior roubo de Bitcoins (BTC) da história. Antes do golpe, a corretora chegou a ser responsável por 80% do volume do BTC negociado em todo o mundo.

Em 2014, a Mt.Gox sofreu um ataque virtual que resultou na perda de 850 mil BTC (cerca de R$ 292 bilhões, na cotação atual), o maior roubo de criptomoedas na história. Mesmo anos depois e com a empresa falando sobre o ocorrido, ainda há muitas vítimas que acreditam que o golpe não passou de uma forma dos administradores da exchange ficarem com o dinheiro para si, principalmente pelo fato dos prejudicados nunca terem recebido as devidas indenizações.

Agora, sete anos depois, o cenário começa a mudar, já que a Mt.Gox anunciou que o plano de reembolso para os credores foi aprovado pelos administradores da exchange, e as vítimas do ataque que aceitarem o acordo vão receber parte do dinheiro investido de volta. No total, serão pagos US$ 9 bilhões (R$ 50,5 bilhões) em criptomoedas e moedas fiduciárias (moeda sem lastro em metal ou valor intrínseco) como compensação pelos prejuízos causados pelo colapso da corretora.

Embora uma quantia alta, é bom frisar que este pagamento inicial representa apenas 90% do que alguém que se manter no processo movido contra a Mt.Gox por mais tempo pode receber. O valor oferecido neste acordo corresponde a 21% das quantidas investidas 7 anos atrás, com nenhuma informação sobre os 79% restantes.

No fechamento desta matéria, 1 BTC estava valendo R$ 343,7 mil.

Pagamento vem do administrador

Segundo um relatório da Mt. Gox, o atual administrador da exchange, Nobuaki Kobayashi, tem posse de um total de 141,6 mil BTC (cerca de R$ 48 milhões), 142,8 mil Bitcoin Cash (cerca de R$ 457 mil) e US$ 610 milhões (aproximadamente R$ 3,5 bilhões), e são esses patrimônios que serão usados para o pagamento dos US$ 9 bilhões aos investidores prejudicados no colapso da corretora.

Considerando que os investidores prejudicados pelo golpe sofrido pela Mt. Gox estão há quase uma década sem nenhuma noticia dos valores investidos, o Plano de Recuperação é algo positivo, mesmo que não envolva o valor total que deveria ser pago.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos