Mercado fechado

Vírus de planta parece ser arma promissora na luta contra o câncer

Natalie Rosa
·3 minutos de leitura

Assim como os humanos, cães também são vítimas recorrentes de câncer, que pode aparecer tanto na "juventude" quanto na vida adulta. Por isso, Jack Hoopes, veterinário especialista em radiação da Universidade de Dartmouth, nos Estados Unidos, vem usando os animais em estudos experimentais de combate à doença.

Hoopes está testando um tratamento contra o câncer derivado de um vírus comum em plantas, e os resultados já estão sendo promissores: diversos cachorros já tiveram seus tumores completamente eliminados, vivendo suas vidas idosas sem sinal algum de câncer. Essa resposta se torna ainda mais positiva se considerar que cerca de 85% dos cães com câncer de boca, por exemplo, desenvolvem um novo tumor ao longo de um ano de tratamento com radioterapia.

"Se um tratamento funciona com câncer canino, há uma chance muito boa de funcionar, de alguma forma, em pacientes humanos", diz o veterinário, esperançoso que a sua descoberta seja benéfica no tratamento da doença.

<em>Folíolo de feijão-caupi com sintomas de virose (Imagem: Reprodução/Eng. Agr. Valmir Duarte/Agronômica)</em>
Folíolo de feijão-caupi com sintomas de virose (Imagem: Reprodução/Eng. Agr. Valmir Duarte/Agronômica)

Metodologia

O novo tratamento que vem sendo desenvolvido por Hoopes é baseado no mosaico do vírus do feijão-de-corda, também conhecido como CPMV, um patógeno que ganha este nome devido ao formato padrão que o vírus deixa nas plantas infectadas que dão origem a esse feijão, também conhecido como caupi ou fradinho. Por mais que o vírus não afete mamíferos da mesma forma que atinge as plantas, os pesquisadores da nova terapia descobriram que ele ativa a resposta imune do organismo, o que pode trazer resultados positivos no tratamento de uma grande variedade da doença.

Normalmente, o sistema imunológico do paciente não reconhece uma célula cancerígena quando passa por ela, pois essas células invasoras têm o poder de enganar o organismo, que acredita não haver nada de errado. Então, um dos melhores tratamentos contra o câncer vem sendo a imunoterapia, que estimula o sistema imunológico a identificar as células cancerígenas e, consequentemente, lutar contra elas.

<em>Imagem: Reprodução/JC/Pixabay</em>
Imagem: Reprodução/JC/Pixabay

Já no tratamento de Hoopes, os cães recebem uma injeção diretamente nos tumores com 200 microgramas de partículas semelhantes a vírus, sendo três vezes mais do que uma injeção contra a gripe comum. Essas partículas são vírus que tiveram seu material genético removido ou desativados para que não possam se replicar. Cada um dos animais recebeu quatro doses dessas partículas virais ao longo de duas semanas, intercalando com o tratamento padrão de radioterapia.

Essas injeções fazem com que o sistema imunológico dos cachorros reconheçam o material como um corpo estranho, entrando em modo de ataque. Então, ao atacar as partículas invasoras, as células cancerígenas são eliminadas com elas. Com isso, o mosaico do vírus do feijão-de-corda se mostra ser mais eficaz que outros vírus na hora de enganar o sistema imunológico, trazendo respostas nunca apresentadas antes com qualquer outro patógeno em estudos.

Ainda falta descobrir, no entanto, qual o fator responsável por tornar esse vírus tão mais eficaz, inclusive sendo melhor do que a radiação por si só, como conta o veterinário.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: