Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.697,32
    +2.060,24 (+3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Vídeo mostra “piloto autônomo” da Tesla quase se envolvendo em acidente fatal

Ramon de Souza
·2 minuto de leitura

Não é de hoje que a Tesla recebe críticas — tanto de seus consumidores quanto da imprensa e do mercado — por nomear seu sistema de condução semiautônoma como “Full Self-Driving”, que significa, em português, “Auto-Condução Completa”. O nome induz o cliente ao erro, visto que a própria montadora alerta (mas em letras miúdas) que o algoritmo é de fase dois, ou seja, não é 100% autônomo e ainda exige que o condutor esteja atento ao trânsito para evitar eventuais acidentes de percurso.

A mais nova prova de que o sistema deveria ser rebatizado vem na forma de um vídeo gravado pelo youtuber Chuck Cook. Dono de um Model Y, ele resolveu testar — e gravar — a eficácia dos sensores inteligentes em uma das mais recentes compilações da tecnologia, a FSD Beta 8.2 version 2021.4.11.1. Para isso, ele dividiu a filmagem em três câmeras diferentes: uma com visão em primeira pessoa (ou seja, na perspectiva do motorista), outra com foco na multimídia do bólido e a terceira em drone Mavic Pro da DJI.

Ao longo de pouco mais de oito minutos, Cook refaz o mesmo movimento com seu automóvel: em um corredor expresso duplo de três vias, ele se posiciona na faixa mais à esquerda da via sentido norte para fazer uma conversão e atravessar a via sentido sul para entrar em uma via de tráfego lento. A intenção era confirmar se o FSD seria capaz de identificar os carros que trafegavam em alta velocidade na outra via, aguardando o momento correto para realizar a manobra com segurança.

Na maioria das tentativas, o Tesla se mostra comportado e realmente só realiza a travessia quando não há outros veículos por perto. No minuto 5:34, porém, o sistema semiautônomo dá sua primeira “vacilada”, iniciando a conversão antes de aguardar a travessia de outros carros. O momento mais crítico, porém, ocorre no minuto 8:22. O Model Y parece sequer verificar obstáculos e inicia a conversão de maneira apressada, forçando o youtuber a pará-lo manualmente com os freios — a poucos centímetros dos carros da frente.

“Desculpem, eu não posso continuar. Ele está indo muito rápido”, afirma Cook segundos antes de encerrar seu perigoso experimento. Claro, não podemos julgar o sistema com base em um erro e um experimento em específico — porém, o vídeo serve para lembrar os donos de carros da montadora que não é adequado confiar cegamente no Full Self-Driving. Se você é um sortudo dono de um Tesla, mantenha-se sempre atento, com as mãos no volante e os pés bem preparados para uma frenagem emergencial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: