Mercado abrirá em 22 mins
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,14
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    56.855,28
    +2.732,39 (+5,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.291,48
    -100,23 (-7,20%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.009,12
    -10,41 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.971,00
    -58,50 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7297
    +0,0436 (+0,65%)
     

Vídeo mostra impressionante viagem da Terra até o 1º buraco negro fotografado

Wyllian Torres
·2 minuto de leitura

O Observatório Europeu do Sul (ESO) divulgou um vídeo que nos leva a uma viagem fantástica, saindo da Terra e indo diretamente para o coração da Messier 87 (M87) — a galáxia elíptica que abriga, em seu centro, o primeiro buraco negro fotografado diretamente. Ainda nesta semana, o buraco negro supermassivo em questão teve uma atualização em sua foto: agora com as marcas do seu campo magnético.

A M87 está localizada na constelação de Virgem, a uma distância aproximada de 53 milhões de anos-luz — mesmo se viajássemos com a mesma velocidade da luz, cerca de 300 km/s, levaríamos 53 milhões de anos para alcançar a galáxia. Ainda bem que a tecnologia nos proporciona outros meios de viajarmos pelo espaço (e sem sair do lugar). O vídeo da vez é um belo vislumbre do quanto a astronomia já explorou desta imensidão que é o universo, e encurta todo tempo e espaço entre a Terra e o centro da galáxia — em menos de um minuto.

O ponto de partida é o Observatório ALMA, localizado no Chile. Antes de iniciar a viagem, as constelações de Virgem e de Leão são assinaladas no céu — a M87 fica mais ou menos entre estas constelações, só que mais próxima à de Virgem. E então mergulhamos na escuridão do céu noturno repleto de estrelas, até que o núcleo da galáxia aparece à vista, tornando-se cada vez maior. Ao final, a famosa imagem do buraco negro supermassivo localizado no núcleo da M87 e, agora, com seu campo magnético.

Tecnicamente falando, não é a imagem do buraco negro em si; afinal, luz alguma escapa de sua esmagadora atração gravitacional. O que vemos é a sua sombra e o disco de acreção ao seu redor — este, sim, que emite luz, capturada neste registro histórico para a humanidade.

De todo modo, é mais uma façanha que os avanços tecnológicos e da astronomia nos proporcionam. Estudos como este são fundamentais para entender como os campos magnéticos se comportam ao redor de buracos negros e como esta atividade em uma região muito compacta pode criar jatos tão poderosos que se estendem para além da galáxia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: