Mercado fechará em 6 h 11 min
  • BOVESPA

    110.736,64
    -979,36 (-0,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,60
    +0,86 (+1,09%)
     
  • OURO

    1.653,20
    -2,40 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    19.156,53
    +237,06 (+1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    439,42
    +6,32 (+1,46%)
     
  • S&P500

    3.692,29
    -0,94 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    29.514,00
    -76,41 (-0,26%)
     
  • FTSE

    6.978,39
    -40,21 (-0,57%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.439,25
    +62,50 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1413
    +0,0437 (+0,86%)
     

Vídeo mostra carro levitando como se fosse um trem-bala na China

Uma universidade chinesa chocou a comunidade automotiva ao divulgar testes com um carro levitando como se fosse um trem-bala. Apelidado de carro maglev (sigla para levitação magnética), esse bólido conseguiu percorrer cerca de oito quilômetros sem tocar no chão, somente com a força do magnetismo.

Segundo a imprensa chinesa, os pesquisadores da Southwest Jiaotong University instalaram um kit completo de ímãs no carro, que parecia ser um sedan da BYD, e também durante todo o percurso de oito quilômetros na região da província de Jiangsu.

Os testes foram bem-sucedidos e revelaram coisas interessantes. Uma delas é a velocidade que o carro conseguiu atingir nesse percurso. Segundo a universidade, a máxima foi de 141km/h, metade do que geralmente os trens-bala conseguem realizar em seus trajetos na China e em outros países.

Obviamente o projeto pode evoluir e mais experimentos serão realizados, mas seria interessante ver, por exemplo, carros sob esses trilhos magnéticos ultrapassando os 300km/h com facilidade. A tecnologia não chega a ser como a de carros voadores, mas é um pouquinho do que se esperava ver no futuro.

A universidade Southwest Jiaotong University não deu pistas se pretende lançar essa tecnologia comercialmente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: