Na véspera de decidir sobre royalties, Dilma defende 'rigoroso respeito aos contratos'

BRASÍLIA - Na véspera de sancionar, com ou sem vetos, o projeto que muda as regras de distribuição dos royalties do petróleo, a presidente Dilma Rousseff defendeu "um rigoroso respeito aos contratos". O texto aprovado pelo Congresso mexe em áreas já licitadas, prejudicando a arrecadação do Rio, do Espírito Santo e de São Paulo. A tendência é que a presidente vete o artigo que trata da redistribuição dos recursos das áreas licitadas.

Veja também:
Fotos: Milhares protestam no Rio contra mudança em royalties
Com solução para royalties, ANP mantém leilões em maio

Aníbal diz que SP está fechado com o RJ

- É fato que defendemos o crescimento e a estabilidade da economia. É fato que defendemos um rigoroso respeito aos contratos. É fato que os estímulos aos investimentos produtivos e a ação vigorosa em prol da indústria brasileira é uma das nossas prioridades. Mas nós defendemos todas essas políticas pelo que elas representam de benefício para toda a população na forma de renda maior, emprego melhor, ascensão social e conquista de direitos. Nenhum brasileiro deve ser privado dos frutos do desenvolvimento e isso significa para nós um país em que a renda mínima seja aquela que caracteriza a classe média. É para lá que caminhamos. Significa um país que agora não se conforma diante da pobreza extrema - disse Dilma.

A declaração foi feita na cerimônia de anúncio da expansão do programa Brasil Carinhoso, na manhã desta quinta-feira.

Carregando...