Mercado abrirá em 9 h 6 min
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,87
    -1,79 (-2,17%)
     
  • OURO

    1.803,80
    +5,00 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    58.841,76
    -1.653,07 (-2,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.410,41
    -63,92 (-4,34%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.525,90
    -102,84 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    28.825,62
    -272,62 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    15.605,00
    +17,75 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4203
    -0,0044 (-0,07%)
     

Usuários relatam instabilidades no Instagram, WhatsApp e Facebook

·1 minuto de leitura
Ações do Facebook tiveram queda de 5% durante crise. Foto: Getty Images.
Ações do Facebook tiveram queda de 5% durante crise. Foto: Getty Images.
  • Clientes relataram dificuldade para atualizar os feeds

  • Mensagens demoraram mais que o normal para serem enviadas

  • Ações do Facebook tiveram queda de 5% durante crise

A última semana não foi das melhores para as redes sociais de Mark Zuckerberg. Após uma queda por completo que durou quase seis horas na última segunda-feira (4), usuários do Instagram relataram dificuldades para carregar o feed da plataforma ontem (8). Em seguida, o WhatsApp e o próprio Facebook também passaram por instabilidades, com mensagens levando mais do que o normal para serem enviadas.

Sem dar explicações sobre os motivos para a volatilidade, o Facebook usou seu perfil no Twitter para se desculpar pelos imprevistos. “Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para que as coisas voltem ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente”, informou a assessoria da rede social.

Leia também:

Durante a crise do Facebook na semana passada, os problemas relatados demoraram em ser resolvidos. Devido à interligação dos sistemas da empresa, até mesmo os engenheiros responsáveis por normalizar as operações foram impedidos de entrar nos prédios da companhia. Como equipamentos de leitura de crachás, calendários internos e ferramentas de agendamento pararam de funcionar, a queda durou por mais horas que o previsto.

Com a série de incidentes, o valor das ações da empresa tiveram queda de 5% no mercado financeiro. Até o próprio Mark Zuckerberg teve danos em suas finanças — o patrimônio do bilionário foi reduzido em cerca de R$ 38 bilhões na segunda-feira.

As informações são da IstoÉ Dinheiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos