Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,65
    -1,02 (-1,63%)
     
  • OURO

    1.783,30
    +4,90 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    54.791,93
    -1.160,67 (-2,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.251,92
    +17,50 (+1,42%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.883,35
    +23,48 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.763,00
    -31,25 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6689
    -0,0336 (-0,50%)
     

Usuários poderão integrar seus contatos do celular ao Pix a partir de abril

Rui Maciel
·2 minuto de leitura

Usuários do Pix poderão integrar suas listas de contatos do celular diretamente à plataforma de transferências e pagamentos do Banco Central (BC) a partir do dia 1º de abril. Segundo a autoridade monetária, objetivo é facilitar a identificação de quem cadastrou seu número de celular como chave Pix, simplificando ainda mais o pagamento com a funcionalidade.

A mudança no regulamente que permitirá essa integração foi anunciada na última semana pelo BC e publicada nesta segunda-feira (22) em resolução no Diário Oficial da União. Além disso, a funcionalidade de verificação de chaves registradas se aplica ao número de telefone celular e também ao endereço de e-mail.

A partir de hoje, as instituições participantes do Pix devem informar sobre seus clientes a respeito dessa possibilidade de integração. De acordo com a regra, a informação deve ser concedida em tempo hábil para que os usuários tenham condições de solicitar a exclusão de sua chave da plataforma, se assim desejarem.

O usuário também pode gerar uma chave aleatória, com um código de até 32 dígitos ou mesmo usar os dados da conta. Cada chave eletrônica está associada a uma conta bancária. Pessoas físicas podem ter até cinco chaves por conta. Para pessoas jurídicas, o limite sobe para 20.

Mudança de nomes sem de registro de nova chave

Outra novidade, que entra em funcionamento a partir de abril é a possibilidade de alterar dados como nome completo, nome empresarial e título do estabelecimento, sem a necessidade de excluir e registrar novamente a chave. Isso será possível em caso de mudança de nome.

Para o BC, o procedimento facilitará, por exemplo, o ajuste quando uma pessoa alterar o nome após o casamento ou uma empresa alterar o nome fantasia do estabelecimento. Também será permitido que o usuário final pessoa natural possa solicitar o vínculo de seu nome social à chave Pix.

Além disso, o Regulamento do Pix também promoveu uma mudança para impedir que as instituições fixem limites do número de transações na plataforma, seja de envio ou de recebimento. De acordo com o BC, essa vedação é necessária para garantir condições competitivas equânimes entre diferentes instrumentos de pagamento.

O Pix permite a transferência de recursos entre contas bancárias 24 horas por dia. As transações são executadas em até 10 segundos, sem custo para pessoas físicas. Para usar o Pix, o correntista deve ir ao aplicativo da instituição financeira e cadastrar as chaves eletrônicas, que podem seguir o número do celular, o e-mail, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), para pessoas físicas ou o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), para empresas.

Leia também:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: