Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.171,57
    +153,29 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    -0,0485 (-0,75%)
     

Usuários gastaram US$ 1,8 bilhão em serviços Apple entre o Natal e o Ano Novo

Rui Maciel
·2 minuto de leitura

Na tentativa de diminuir a dependência do iPhone na sua geração de receitas, a Apple vem investindo forte em seu segmento de serviços nos últimos anos. E, ao que tudo indica, a estratégia parece que vem dando certo. Isso porque a divisão - que engloba a App Store, Apple Music, Apple TV+, iCloud, Apple Arcade, entre outros - vem apresentando ótimos números trimestre após trimestre.

Mesmo sem anunciar os resultados financeiros referentes ao ano de 2020 - ou ao último trimestre - a Apple anunciou nesta quarta-feira (06) que durante a semana entre o Natal e o Ano Novo, seus usuários gastaram US$ 1,8 bilhão em produtos e serviços digitais oferecidos na App Store. E apenas no dia do Ano Novo, foram gastos US$ 540 milhões, um novo recorde para a empresa.

Segundo a Maçã, tal fluxo de caixa do período foi impulsionado, em grande parte, pelos gastos com jogos. Importante mencionar que tais números incluem as compras feitas dentro de aplicativos de terceiros, quando a empresa retém os seus generosos 30% de comissão - algo que empresas como a Epic Games (com seu ultrapopular Fornite) e o Spotify vem tentando combater, já que eles consideram a taxa abusiva.

Apple Arcade: jogos geraram um belo fluxo de caixa para a Apple no final desse ano (Foto: Divulgação / Apple)
Apple Arcade: jogos geraram um belo fluxo de caixa para a Apple no final desse ano (Foto: Divulgação / Apple)


Ainda assim, a Apple afirma que desenvolvedores de todo o mundo ganharam mais de US$ 200 bilhões desde o lançamento da App Store em 2008. Além disso, nessa semana, a empresa iniciou o já anunciado programa App Store Small Business Program, focado em pequenas empresas. A ação oferece à grande maioria dos desenvolvedores uma comissão reduzida para capacitar o reinvestimento em seu crescimento e expansão em 2021.

Soluções feitas em casa também geram receitas

Ainda que as compras em apps de terceiros tenham gerado uma parte significativa do setor de serviços da Apple, a empresa também apresentou boa performance em aplicativos e soluções desenvolvidos pela própria empresa. Um exemplo é o Fitness+, que permite ao Apple Watch se tornar outro fluxo interessante de receitas.

Apple Fitness+: potencial fonte de receitas para a Maçã (Foto: Divulgação / Apple)
Apple Fitness+: potencial fonte de receitas para a Maçã (Foto: Divulgação / Apple)

Já o Apple Pay também vem ganhando espaço, principalmente entre os varejistas físicos. A Apple divulgou que 90% das lojas nos EUA aceitam a plataforma como método de pagamento. O detentor do recorde nessa categoria é a Austrália, onde a Apple afirma que 99% das lojas aceitam a solução; já no Reino Unido essa porcentagem é de 85%.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: