Mercado fechado

USP cria aparelho que dá diagnóstico de COVID-19 em menos de um minuto

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

Para facilitar o processo de diagnóstico da COVID-19, pesquisadores da USP criaram um dispositivo portátil que faz a análise da presença do vírus SARS-CoV-2 no organismo em tempo real. Batizado de GRAPH Covid-19, o aparelho foi construído com base na plataforma DoC (Diagnostic On a Chip), uma tecnologia de biossensores avançados com nanocompósitos de óxido de grafeno.

O GRAPH promete detectar e monitorar diversas doenças, principalmente a COVID-19, usando um baixo volume de amostra biológica, como apenas uma gota de sangue. O dispositivo será produzido em escala nacional não só para agilizar o processo de detecção, como também para evitar os gastos com a importação de insumos.

<em>Imagem: Divulgação/USP Imagens</em>
Imagem: Divulgação/USP Imagens

Fabiana Medeiros, doutora em biotecnologia pelo Programa de Tecnologia Nuclear do IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares) da USP, também sócia-fundadora da Biosintesis, conta que a associação dos biossensores avançados com os nanocompósitos de grafeno são ideais para o diagnóstico em tempo real. "Esta tecnologia traz benefícios significativos em relação a metodologias analíticas convencionais, tais como rapidez, alta sensibilidade e especificidade. Sua portabilidade permite diagnosticar o SARS-CoV-2 em qualquer local", explica a cientista.

Medeiros revela ainda que os biossensores são capazes de detectar diferentes tipos de biomarcadores prognósticos e diagnósticos relacionados ao câncer, diabete e alzheimer, além de infecções virais e bacterianas. O método, atualmente, é o mais rápido disponível no mercado, apresentando os resultados em menos de um minuto, de acordo com os pesquisadores.

<em>Imagem: Divulgação/USP Imagens</em>
Imagem: Divulgação/USP Imagens

O objetivo do projeto, que conta com potencial de exportação, é reduzir o custo dos testes e também levar a tecnologia a hospitais e postos de saúde, principalmente nas regiões em que a população é mais vulnerável ao contágio. Por enquanto, os pesquisadores estão trabalhando na obtenção de resultados efetivos em relação ao diagnóstico da COVID-19, e isso deve acontecer ainda no primeiro trimestre de 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: