Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,27
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.778,70
    -4,70 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    33.264,91
    -370,38 (-1,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    798,22
    -11,97 (-1,48%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.854,64
    -20,25 (-0,07%)
     
  • NASDAQ

    14.292,25
    +29,25 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9297
    +0,0012 (+0,02%)
     

Uso de medicamentos para tratar overdose diminuiu durante a pandemia

·1 minuto de leitura
Uso de medicamentos para tratar overdose diminuiu durante a pandemia
Uso de medicamentos para tratar overdose diminuiu durante a pandemia

Por mais que as visitas ao hospital por doenças gerais tenham diminuído ao longo da pandemia, as internações por overdose de opioides não fatais mais do que dobraram. Entretanto, os pacientes que receberam overdose de opioides também receberam receita de naloxona, que é um medicamento criado para bloquear os efeitos no cérebro e reverter rapidamente o quadro.

Através de um estudo focado nos medicamentos para reverter quadros de overdose, os pesquisadores clínicos do Beth Israel Deaconess Medical Center (BIDMC) se aprofundaram nas tendências da prescrição de naloxona durante a pandemia da Covid-19 nos Estados Unidos e compararam com as prescrições de opioides em termos gerais. As descobertas da equipe sugerem que patentes com distúrbios do uso indevido de opióides caíram consideravelmente.

Leia também:

“Em março de 2020, vimos uma redução acentuada no número médio de indivíduos que recebem prescrições de naloxona a cada semana, o que excede em muito o declínio no número de pessoas que recebem prescrições de qualquer medicamento”, explicou Ashley O’Donohue, economista do Center for Healthcare Delivery Science do BIDMC.

Além disso, os cientistas concluíram que o número de indivíduos que recebem prescrições de qualquer medicamento caiu 14% nos primeiros meses da pandemia. Enquanto isso, o número de pessoas que recebem prescrições de opióides caiu apenas 9%. Mas por outro lado, o índice de prescrição de naloxona caiu em mais de 25%.

“Nosso estudo identifica uma lacuna urgente no acesso necessário a medicamentos que salvam vidas para indivíduos cobertos pelo Medicare e seguro comercial durante a pandemia”, disse a autora sênior Jennifer P. Stevens, Diretora do Center for Healthcare Delivery Science at BIDMC.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos