Mercado abrirá em 9 h 44 min
  • BOVESPA

    116.464,06
    -915,94 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,94 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,70
    +0,09 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.844,60
    -6,30 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    32.199,17
    -169,12 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    648,53
    +1,21 (+0,19%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.431,17
    +39,91 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.632,46
    +86,26 (+0,30%)
     
  • NASDAQ

    13.546,00
    +60,50 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5114
    +0,0006 (+0,01%)
     

Usinas de açúcar indianas fecham negócios de exportação com alta de preços

Rajendra Jadhav
·2 minuto de leitura

Por Rajendra Jadhav

MUMBAI (Reuters) - As usinas de açúcar indianas estão assinando agressivamente contratos de exportação depois que o governo do país aprovou um subsídio para vendas ao exterior, enquanto os preços globais estão no mais alto nível em três anos e meio, disseram quatro autoridades da indústria à Reuters nesta quinta-feira.

As exportações ajudarão o segundo maior produtor de açúcar do mundo a reduzir seus estoques e sustentar os preços locais, que, em desacordo com o mercado global, vêm caindo devido ao excesso de oferta no mercado interno.

Mas as remessas podem limitar uma alta nos preços de referência em Nova York e Londres.

As usinas já firmaram contratos para exportar 1,5 milhão de toneladas de açúcar na campanha de comercialização de 2020/21 que começou em 1º de outubro, principalmente para Indonésia, Sri Lanka, Afeganistão e países africanos. Os embarques estão previstos entre janeiro e março, disseram as autoridades.

Os contratos foram assinados entre 375 e 395 dólares a tonelada em uma base free-on-board (FOB), disseram três negociantes diretamente envolvidos. Eles preferiram não ser identificados devido a políticas de suas organizações.

"A maioria dos contratos foi feita para açúcar bruto, que está indo para a Indonésia", disse Rahil Shaikh, diretor-gerente da MEIR Commodities India.

A Indonésia, que tradicionalmente importa a maior parte de sua necessidade da Tailândia, começou a comprar açúcar indiano em 2020, após alterar os regulamentos de pureza para as importações de açúcar.

Dos 1,5 milhão de toneladas de contratos de exportação assinados, quase 1 milhão envolve açúcar bruto, enquanto o resto é de açúcar branco, disseram os comerciantes.

Sri Lanka, Afeganistão e países africanos estão comprando pequenas quantidades de açúcar branco, mas a demanda pelo produto é limitada devido à falta de contêineres, disseram.

Em meados de dezembro, a Índia aprovou um subsídio de 5.833 rúpias (79,53 dólares) por tonelada para incentivar usinas sem caixa a exportarem 6 milhões de toneladas de açúcar em 2020/21.

Aumentar os preços domésticos do açúcar ajudará a garantir que milhões de agricultores indianos recebam o preço estabelecido pelo governo.

O governo fixa os preços da cana-de-açúcar que as usinas devem pagar aos agricultores, mas com os valores do adoçante sob pressão as empresas sofrem para pagar o preço obrigatório da cana.