Mercado abrirá em 9 h 53 min
  • BOVESPA

    122.979,96
    +42,09 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.789,31
    +417,33 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,64
    -0,85 (-1,30%)
     
  • OURO

    1.867,20
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    40.492,87
    -4.419,74 (-9,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.118,47
    -134,68 (-10,75%)
     
  • S&P500

    4.127,83
    -35,46 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.060,66
    -267,13 (-0,78%)
     
  • FTSE

    7.034,24
    +1,39 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.008,09
    -398,75 (-1,40%)
     
  • NASDAQ

    13.147,00
    -65,00 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4304
    +0,0003 (+0,00%)
     

Usiminas lucra R$1,2 bi no 1º tri; eleva vendas de aço em 20%

·2 minuto de leitura
Funcionário da Usiminas em Ipatinga

SÃO PAULO (Reuters) - A Usiminas reportou nesta sexta-feira lucro líquido de 1,2 bilhão de reais no primeiro trimestre, versus prejuízo de 424 milhões de reais no mesmo período do ano passado, beneficiada pela forte demanda de aço no país, que avalizou aumento nos preços.

No período, a companhia registrou uma disparada de 325% na geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda ajustado, para o recorde trimestral consolidado de 2,4 bilhões de reais. A margem subiu para 34%, de 15% um ano antes.

Analistas esperavam, em média, lucro líquido de 934,24 milhões de reais e Ebitda de 1,759 bilhão de reais, de acordo com dados da Refinitiv.

O volume de vendas de aço da Usiminas cresceu 20% ante o mesmo período de 2020, para 1,25 milhão de toneladas, enquanto a comercialização de minério de ferro caiu 12%, para 1,94 milhão de toneladas. A receita líquida aumentou 86%, para 7,1 bilhões de reais, recorde trimestral.

Para o segundo trimestre, a Usiminas estima que o volume de vendas de aço alcançe 1,2 milhão a 1,3 milhão de toneladas.

No final de março, o caixa e equivalente de caixa consolidado era de 4,6 bilhões de reais, abaixo dos 4,9 bilhões de reais do final de 2020, principalmente pelo aumento do capital de giro, para 4,9 bilhões de reais, mas boa parte compensado pela forte geração de Ebitda.

A dívida líquida consolidada no final do primeiro trimestre era de 1,7 bilhão de reais, 51,5% acima do montante no final do ano passado, em razão, majoritariamente, da variação cambial no período e da redução da posição de caixa e equivalentes de caixa. O indicador dívida líquida/Ebitda permaneceu em 0,3 vez.

(Por Roberto Samora, com reportagem adicional de Paula Arend Laier)