Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.064,14
    +1.590,69 (+3,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

USDA vê oferta menor de milho e soja nos EUA com aumento de exportações

·1 minuto de leitura

CHICAGO (Reuters) - A forte demanda por exportações vai reduzir ainda mais as já apertadas ofertas de soja e milho dos Estados Unidos, em relação ao que se projetava anteriormente, disse o governo norte-americano nesta terça-feira.

Em seu relatório mensal de oferta e demanda globais, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) estimou os estoques finais de milho do país em 2020/21 em 1,502 bilhão de bushels, enquanto os estoques finais de soja foram vistos em 120 milhões de bushels.

Em janeiro, a agência projetava os estoques do cereal em 1,552 bilhão de bushels, e os da oleaginosa em 140 milhões.

Analistas esperavam que o relatório indicasse as reservas finais de milho em 1,392 bilhão de bushels, enquanto as perspectivas para a soja eram de 123 milhões de bushels, segundo a média das estimativas compiladas em pesquisa da Reuters.

(Reportagem de Mark Weinraub)