Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,93
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.873,80
    -5,80 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    38.827,55
    +3.324,02 (+9,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    972,54
    +30,73 (+3,26%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.014,50
    +20,25 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1907
    -0,0019 (-0,03%)
     

UPL tem novo CEO para operação no Brasil

·1 minuto de leitura

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia indiana de agroquímicos e soluções agrícolas UPL vai anunciar na terça-feira a chegada do novo CEO para a operação da empresa no Brasil, Rogério Castro, antecipou à Reuters em comunicado.

A escolha faz parte de um processo de transformação mundial da companhia, que contará com a mudança do atual CEO no Brasil, Fábio Torretta, para a cadeira de head global de soluções sustentáveis da UPL.

Com mais de 30 anos de atuação no agronegócio, Castro é formado em agronomia pela Universidade Federal de Lavras, possui certificação em contabilidade financeira pela Fundação Getulio Vargas e cursou o Programa de Gestão Avançada da Harvard Business School. Entre 2011 e 2019, foi head de negócios da UPL no Brasil.

"A UPL é uma das maiores empresas de soluções agrícolas do Brasil, país que também representa o maior mercado da companhia no mundo. Nosso desafio é potencializar esse crescimento", disse Castro em nota.

Torretta, por sua vez, concentra atuação no desenvolvimento de estratégias para fortalecer inovações de origem natural para proteção de cultivos, além do melhoramento da resiliência das plantas e o aumento do rendimento de safras, impactando a saúde vegetal e a sustentabilidade dos sistemas de produção de alimentos em um nível macro, ressaltou a UPL.