Mercado fechado

Units do BMG recuam após resultado trimestral

Por Paula Arend Laier

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - As units do banco BMG recuavam nesta segunda-feira, no primeiro pregão após divulgação do resultado do terceiro trimestre, que mostrou lucro líquido recorrente de 88 milhões de reais, acréscimo de 14,3% na comparação ano a ano. A margem financeira líquida alcançou 24,7%, ante 20,2% um ano antes.

Às 12h22, os papéis tinham queda de 2,78%, a 43,75 reais, enquanto o Ibovespa, referência da bolsa paulista, mas que não tem o banco mineiro em sua composição, subia 0,34%.

O BMG passou a ser negociado na bolsa no final de outubro, após precificar seu IPO a 11,60 reais por ação preferencial, no piso da faixa indicativa, em operação que movimentou 1,6 bilhão de reais.

A unit do banco é composta por 1 ação preferencial de titularidade do acionista vendedor na oferta e 3 recibos de subscrição de ações preferenciais decorrente do aumento de capital referente à oferta primária.

Ainda de acordo com o balanço, o BMG encerrou o terceiro trimestre com carteira de crédito total de 10,8 bilhões de reais, elevação de 16,7% frente ao mesmo período de 2018, e ROAE recorrente de 14,6%, ante 13,1% um ano antes. As despesas operacionais líquidas subiram 14,8% na base trimestral.

Para mais detalhes sobre o resultado o BMG, clique aqui http://bit.ly/37aMrFT

Analistas do BTG Pactual afirmaram que os números vieram dentro da faixa esperado pela maioria dos investidores com quem conversaram. Também citaram que o resultado antes de impostos foi mais fraco, mas que a margem financeira líquida cresceu muito forte trimestre a trimestre.

Também observaram que as despesas operacionais aceleraram, embora considerem que tal desempenho indique que o banco acelerou investimentos para "colher" na frente, afirma a nota enviada a clientes nesta segunda-feira pela área de gestão do banco, atribuída aos analistas Eduardo Rosman e Thomas Peredo.

"Para os atuais acionistas, leitura parece neutra. Por outro lado, para quem não tem o papel, ou era mais cético, o terceiro trimestre não vai ajudar", avaliaram, acrescentando que, aparentemente, o 'sell-side' trabalha com previsão de lucro líquido ajustado de 800 milhões de reais em 2020, enquanto o 'buy-side' parece ver algo mais perto de 650 milhões de reais.

Nos nove meses até setembro, o lucro líquido recorrente do BMG somou 270 milhões de reais.