Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.945,63
    +1.875,95 (+1,79%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.603,81
    +6,52 (+0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,68
    +3,42 (+5,16%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -4,70 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    49.256,92
    +341,47 (+0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.274,76
    +14,60 (+1,16%)
     
  • S&P500

    4.589,64
    +51,21 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    35.209,87
    +629,79 (+1,82%)
     
  • FTSE

    7.232,28
    +109,96 (+1,54%)
     
  • HANG SENG

    23.349,38
    -417,31 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    27.927,37
    -102,20 (-0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.847,25
    +129,50 (+0,82%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4143
    +0,0190 (+0,30%)
     

Unilever alerta para maior alta de preços à medida que a inflação piora

·2 min de leitura
Uma mulher está atrás de uma máquina que faz parte de uma linha de fabricação de pasta de dente na fábrica da Unilever em Lagos, Nigéria

Por Siddharth Cavale

(Reuters) - A Unilever alertou que a inflação deve acelerar no próximo ano e seus preços terão que subir ainda mais, com empresas de bens de consumo lutando para compensar o aumento de energia e outros custos.

A empresa anunciou nesta quinta-feira crescimento das vendas do terceiro trimestre acima das previsões e manteve sua projeção de margem de lucro para o ano, desafiando temores de alguns analistas de um corte.

Mas o chefe de finanças da Unilever, Graeme Pitkethly, previu persistência das pressões inflacionárias. "Esperamos que a inflação possa ser maior no próximo ano do que neste ano", disse a jornalistas, acrescentando que é provável que o pico no primeiro semestre de 2022 seja moderado depois disso.

As rivais Procter & Gamble e Nestlé disseram nesta semana que também aumentarão os preços ainda mais.

Mas analistas dizem que a Unilever enfrenta uma tarefa difícil devido à sua maior exposição aos mercados emergentes, onde a inflação é mais forte e há sinais de que os consumidores estão migrando para marcas locais mais baratas.

No terceiro trimestre, a Unilever disse que as vendas de desodorantes, produtos para a pele e sorvetes aumentaram.

A inflação na indústria de bens de consumo tem sido alta, embora a Unilever tenha dito que observa um impacto menor por causa de seu poder de negociação.

Ajudada pelos aumentos de preços, a Unilever manteve sua previsão de margem operacional para o ano. Em julho, cortou a previsão de "ligeiramente para cima" para "quase estável".

Óleo de palma e soja e derivados de petróleo, como resina, foram algumas das áreas de pressões de custo, enquanto o preço do frete marítimo foi de 10 e 15 vezes mais altos do que no final de 2019, acrescentou.

Em meio a desafios de logística, a Unilever está mantendo estoques de reserva para manter disponibilidade nas prateleiras de varejistas.

(Reportagem de Siddharth Cavale em Bangalore)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos