Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.688,95
    -2.879,34 (-6,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Unidade de gestão de patrimônio do banco Nordea será 100% ESG

Kati Pohjanpalo
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A unidade inteira de gestão de patrimônio e ativos do Nordea Bank - que atualmente administra cerca de US$ 425 bilhões - planeja excluir todos os investimentos que não sejam considerados sustentáveis em pelo menos cinco anos.

A divisão já está “muito próxima” dessa meta e provavelmente será “100% ESG” em “5 a 10 anos”, disse em entrevista Frank Vang-Jensen, diretor-presidente do Nordea. Cerca de 70% dos fluxos no quarto trimestre para o segmento de patrimônio foram direcionados para produtos atrelados a metas ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês, o que levou os ativos sob gestão para nível recorde.

Com a expansão dos investimentos ESG, permanecem questões em torno do que constitui um ativo sustentável. Incentivados pela demanda de investidores, emissores e gestores de ativos se concentram cada vez mais em produtos de transição, por meio dos quais empresas que ainda não são verdes se comprometem a reverter práticas poluentes para então serem incluídas em portfólios categorizados como sustentáveis. Algumas definições são tão amplas que até transportadoras de produtos químicos são incluídas.

A emissão global de ativos sustentáveis, que incluem produtos de transição, ultrapassará US$ 1 trilhão neste ano, de acordo com estimativas do SEB, banco que ajudou a coordenar a emissão do primeiro título verde do mundo há mais de uma década.

Os bancos da região nórdica promovem agendas ESG cada vez mais ambiciosas em um esforço para atrair clientes. O SEB disse nesta semana que começará a excluir todos os ativos de combustíveis fósseis de seus fundos de investimento, enquanto aumenta os critérios de exclusão.

Investimento social

A categoria mais elusiva do ESG continua sendo o S, que representa os investimentos sociais. É uma categoria que “tem sido mais difícil de entender”, disse Vang-Jensen. O Nordea mira agora projetos público-privados e investimentos em infraestrutura digital, mas as definições ainda não são uniformes.

É “a última parte do ESG e, na minha opinião, não mostrou o mesmo ritmo que as outras duas”, disse Vang-Jensen.

O foco do Nordea em sustentabilidade é um dos principais motivos pelos quais a gestão de ativos aumentou em valor no final do ano passado. O banco anunciou recentemente que irá fechar seu fundo climático de US$ 7,4 bilhões para novos investidores, uma medida que disse ser necessária “para garantir uma carteira líquida e negociável”.

Os fundos Stars do Nordea, com US$ 12 bilhões em ativos sob gestão, também oferecem investimentos sustentáveis e permanecem abertos a novas entradas em meio à demanda aparentemente insaciável por esses produtos.

O Nordea não está cobrando mais de clientes ricos pelas estratégias ESG, apesar do custo extra envolvido no fornecimento de tais produtos.

Vang-Jensen também aproveitou a oportunidade para negar rumores de que o Nordea poderia vender a unidade de gestão de patrimônio.

“Temos uma estratégia clara”, disse. “Queremos expandir nosso próprio negócio de gestão de ativos, está crescendo bem e acreditamos que podemos fazer ainda mais.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.