Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    49.981,69
    +1.471,30 (+3,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

União Química inicia produção piloto do IFA para a vacina Sputnik V

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Nesta semana, a farmacêutica União Química disponibilizou sua estrutura para desenvolvimento e produção piloto do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da Sputnik V (a vacina russa contra a COVID-19) aqui no Brasil, em acordo firmado com o Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF).

A vacina foi desenvolvida pelo instituto Gamaleya, do governo russo. Na fórmula da Sputnik V são utilizados dois adenovírus humanos, o Ad26 e o Ad5, ambos conhecidos por causar o resfriado comum. No mês de novembro, Oksana Drapkina, diretora de um instituto de pesquisa do Ministério da Saúde, anunciou que a vacina é mais de 90% eficaz. Segundo Drapkina, esses dados foram obtidos por meio das vacinações referentes a um ensaio ainda em andamento.

“Somos responsáveis ​​por monitorar a eficácia da vacina Sputnik V entre os cidadãos que a receberam como parte do programa de vacinação em massa. Com base em nossas observações, sua eficácia também é superior a 90%. O aparecimento de outra vacina eficaz é uma boa notícia para todos”, disse a diretora, durante comunicado.

Com a produção centrada na Bthek, unidade de Biotecnologia da União Química no Distrito Federal, a parceria entre a companhia e o RDIF prevê acordo de transferência de tecnologia e fabricação da vacina para toda América Latina.

A União Química iniciou a produção do IFA da vacina Sputnik V, em sua unidade Bthek, para fins de testes piloto, de acordo com as regras sanitárias e regulatórias brasileiras. "No seu devido tempo e com as devidas autorizações da Anvisa, iniciaremos a produção em escala industrial e comercial. A produção do IFA, em escala piloto, faz parte da rotina da indústria farmacêutica em todo o mundo", explica Rogério Rosso, Diretor de Negócios Internacionais do Grupo União Química.

União Química inicia produção piloto do IFA para a vacina Sputnik V (Imagem: McKinsey/Rawpixel)
União Química inicia produção piloto do IFA para a vacina Sputnik V (Imagem: McKinsey/Rawpixel)

"Esta semana já iniciamos um lote piloto de aprendizado de produção de IFA. Não é para uso", disse o cientista-chefe da União Química, Miguel Giudicissi. Enquanto isso, a União Química segue nas tratativas com a ANVISA a respeito das exigências referentes ao pedido de uso emergencial da Sputnik V, protocolado em 15 de janeiro de 2021, e está trabalhando arduamente junto à Agência para chegar à conclusão dessa jornada com a maior agilidade possível.

Além do Brasil, as doses do imunizante fabricadas por aqui também irão para alguns países da América Latina que já aprovaram o uso das vacinas, como a Argentina e a Bolívia. A Sputnik V, que vem sendo desenvolvida em Moscou, foi a primeira vacina contra a COVID-19 a ser registrada em todo o mundo, apresentando eficácia de 90%.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: