Mercado fechará em 6 h 24 min
  • BOVESPA

    125.572,02
    +959,99 (+0,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,09
    +0,44 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.796,00
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    39.564,24
    +1.071,67 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    927,06
    -2,87 (-0,31%)
     
  • S&P500

    4.402,61
    +1,15 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    35.065,39
    +6,87 (+0,02%)
     
  • FTSE

    7.006,63
    +10,55 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.001,75
    +54,00 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0736
    -0,0348 (-0,57%)
     

União inédita da mídia dinamarquesa para negociar com gigantes da internet

·2 minuto de leitura
Logotipo do Google em uma tela fotografada em Paris em 29 de abril de 2018

Os principais meios de comunicação dinamarqueses vão se reunir para negociar coletivamente seus direitos autorais com gigantes da internet, como Google e Facebook, anunciou nesta segunda-feira (28) um dos responsáveis pela iniciativa, sem precedentes na Europa.

Cerca de 30 grupos, incluindo as redes públicas de televisão DR e TV2 e a agência de notícias Ritzau, fundaram uma organização que será lançada oficialmente na sexta-feira, disse à AFP Stig Ørskov, CEO da JP-Politikens Hus, o grupo principal de mídia impressa dinamarquesa.

A organização representará todos os meios de comunicação para negociar e cobrar coletivamente o montante dos direitos, incluindo os novos direitos conexos, reconhecidos por uma diretriz europeia.

"Funcionará como um coletivo de direitos autorais em nossas discussões com grandes empresas de tecnologia como Google e Facebook", disse Ørskov.

"Nosso principal pedido é que os gigantes da tecnologia paguem uma parte justa pelo conteúdo de informação criado pela mídia dinamarquesa que eles usam e lucram", argumentou.

Na União Europeia (UE), uma diretriz de 2019 sobre direitos autorais estabeleceu um "direito conexo" em benefício de editores e agências de notícias ao remunerar o uso de seu conteúdo online.

Essa diretriz já foi traduzida em um emblemático acordo do Google com a imprensa francesa em 2020, mas os pagamentos permanecem bilaterais e o acordo não cobre todos os meios de comunicação.

A abordagem, pioneira na Europa, coincide com a preparação de duas diretrizes em Bruxelas, denominadas DSA e DSM, para reforçar a regulamentação das plataformas digitais.

Segundo Stig Ørskov, as discussões podem começar "bem rápido" e "já existem contatos informais com o Google".

A este respeito, o Google disse à AFP que "respeita" a estratégia da mídia dinamarquesa.

“Já propusemos que eles comecem a conversar com eles, com o objetivo de chegar a acordos justos e razoáveis”, disse o grupo.

cbw-lby/map/jvb/eg/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos