Mercado fechado

União Europeia sanciona autoridades russas por envenenamento de Navalny

Valor
·2 minutos de leitura

Rússia já adiantou que deve retaliar a decisão A União Europeia (UE) anunciou nesta quinta-feira sanções contra seis funcionários do alto escalão do governo da Rússia e uma organização do país devido ao envenenamento do opositor Alexei Navalny com um agente químico desenvolvido por cientistas da antiga União Soviética. A decisão foi aprovada pelos 27 países da UE. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia havia advertido antes do anúncio que poderia retaliar. “As medidas restritivas aprovadas consistem em um veto para viajar à UE e um congelamento de ativos particulares”, explicou o bloco europeu em comunicado para anunciar as sanções. Os alvos da medida são dois funcionários do alto escalão do Gabinete Executivo da Presidência, o diretor do Serviço Federal de Segurança (FSB), Alexander Bortnikov, dois vice-ministros de Defesa e o enviado especial do governo para a Sibéria. O Instituto Estatal de Pesquisa Científica para Tecnologia e Química Orgânica, com sede em Moscou, também foi sancionado. Navalny, um dos principais opositores do presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou mal no último dia 20 de agosto enquanto viajava da Sibéria para Moscou. Depois de ser atendido em um hospital russo, ele foi transferido para uma clínica de Berlim, na Alemanha. Exames realizados na última semana confirmaram envenenamento de Alexei Navalny, opositor de Putin, Pavel Golovkin/AP Uma análise realizada na semana passada em laboratórios designados pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) confirmaram que Navalny foi envenenado com o agente químico novichok. Em entrevista concedida ontem, o chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, disse que o país poderia retaliar caso fosse alvo de sanções por parte da UE. “Os alemães não pretendem apresentar fatos, apesar de todas as obrigações legais e internacionais. Nós responderemos da mesma maneira. Essa é uma prática diplomática”, disse ele.