Mercado fechará em 1 h 28 min
  • BOVESPA

    122.032,84
    +1.684,05 (+1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.246,73
    +354,45 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,18
    -0,18 (-0,34%)
     
  • OURO

    1.836,80
    +6,90 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    35.723,79
    -335,09 (-0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    695,18
    -39,96 (-5,44%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.862,77
    +288,91 (+1,01%)
     
  • NIKKEI

    28.242,21
    -276,97 (-0,97%)
     
  • NASDAQ

    12.812,00
    +9,75 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3661
    -0,0265 (-0,41%)
     

União Africana obtém 270 milhões de vacinas contra covid-19 para o continente

·1 minuto de leitura
Um farmacêutico dilui a vacina Pfizer COVID-19 enquanto a prepara para ser administrada aos funcionários e residentes da Goodwin House Bailey's Crossroads, uma comunidade de idosos em Falls Church, Virgínia, em 30 de dezembro de 2020.

A União Africana (UA) obteve 270 milhões de vacinas contra a covid-19 para o continente, anunciou nesta quarta-feira (13) à noite em comunicado a África do Sul, que detém a presidência rotativa da entidade.

Pelo menos 50 milhões dessas vacinas estarão disponíveis entre abril e junho e serão fornecidas pelos laboratórios Pfizer-BioNTech, AstraZeneca (que tem produção na Índia) e Johnson & Johnson.

"Passamos por uma etapa suplementar para obter vacinas de forma independente, usando nossos próprios recursos limitados", informou o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, citado no comunicado.

Foram feitos acordos para ajudar os países africanos a financiar a compra dessas vacinas com o banco pan-africano Afreximbank (Banco de Exportações e Importações da África) e o Banco Mundial.

Até o momento, foram registrados no continente pouco mais de três milhões de casos de covid-19 e mais de 74 mil mortes, segundo dados oficiais, números bem inferiores aos de outras regiões, como América Latina e Caribe, onde 16 milhões de casos e mais de 500.000 mortes foram confirmados.

Mesmo assim, vários países do continente enfrentam uma segunda onda, muito violenta, como a África do Sul, o país africano mais afetado, com mais de 1,2 milhão de casos e 35 mil mortes.

A iniciativa lançada pela UA é independente do dispositivo Covax, estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e parceiros privados, para alcançar o acesso equitativo às vacinas.

A meta da OMS é fornecer doses para vacinar até 20% da população dos países participantes antes do final do ano.

cld/fjb/jvb/gma/am/mvv